O DIFICIL ECUMENISMO

Postado por Norma Villares



Há muito tempo atrás eu convidei um Coral das Mães de alunos de um Colégio Católico, para cantar numa comemoração de aniversário de uma Casa Espírita, era a festa de 90 anos de existência. E muitas mães de recusaram a cantar, mas a maestrina convenceu a todos de participar deste evento, o que foi super legal, face o tratamento fraterno que lhe ofertamos. Nota 10 para esta maestrina, é gente que faz a diferença!

Um dos basilares arautos do ecumenismo foi o Papa João XXIII, mas a realidade é muito dura na prática, Este texto também fala sobre esta "recusa" em participar de um evento espírita e, foi escrito por Ed René Kivitz, cristão, pastor evangélico, e "santista desde pequenininho”, sobre um fato parecido, ocorrido com alguns jogadores do Santos, ter-se negado participar da prática da caridade numa casa espírita, por serem Evangélicos.

É uma ótima reflexão sobre a diferença de RELIGIÃO e ESPIRITUALIDADE.


O texto mais lúcido que li sobre o episódio envolvendo os jogadores do Santos numa visita ao Lar Espírita Mensageiros da Luz, que cuida de crianças com deficiência cerebral para entregar ovos de Páscoa. Uma parte dos atletas, entre eles, Robinho, Neymar, Ganso e Fabio Costa, se recusaram a entrar na entidade e preferiram ficar dentro do ônibus do clube, sob a alegação de que são evangélicos.

"Os meninos da Vila pisaram na bola. Mas prefiro sair em sua defesa. Eles não erraram sozinhos. Fizeram a cabeça deles. O mundo religioso é mestre em fazer a cabeça dos outros. Por isso cada vez mais me convenço de que o Cristianismo implica a superação da religião, e cada vez mais me dedico a pensar nas categorias da espiritualidade, em detrimento das categorias da religião.

A religião está baseada nos ritos, dogmas e credos, tabus e códigos morais de cada tradição de fé. A espiritualidade está fundamentada nos conteúdos universais de todas e cada uma das tradições de fé.

Quando você começa a discutir quem vai para céu e quem vai para o inferno, ou se Deus é a favor ou contra à prática do homossexualismo, ou mesmo se você tem que subir uma escada de joelhos ou dar o dízimo na igreja para alcançar o favor de Deus, você está discutindo religião. Quando você começa a discutir se o correto é a reencarnação ou a ressurreição, a teoria de Darwin ou a narrativa do Gênesis, e se o livro certo é a Bíblia ou o Corão, você está discutindo religião. Quando você fica perguntando se a instituição social é espírita kardecista, evangélica, ou católica, você está discutindo religião.

O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância . A religião coloca de um lado os adoradores de Allá, de outro os adoradores de Yahweh, e de outro os adoradores de Jesus. Isso sem falar nos adoradores de Shiva, de Krishna e devotos do Buda, e por aí vai. E cada grupo de adoradores deseja a extinção dos outros, ou pela conversão à sua religião, o que faz com que os outros deixem de existir enquanto outros e se tornem iguais a nós, ou pelo extermínio através do assassinato em nome de Deus, ou melhor, em nome de um deus, com d minúsculo, isto é, um ídolo que pretende se passar por Deus.

Mas quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade, amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a todas as tradições religiosas. E quando você está com o coração cheio de espiritualidade, e não de religião, você promove a justiça e a paz. Os valores espirituais agregam pessoas, aproximam os diferentes, fazem com que os discordantes no mundo das crenças se dêem as mãos no mundo da busca de superação do sofrimento humano, que a todos nós humilha e iguala, independentemente de raça, gênero e, inclusive, religião.

Em síntese, quando você vive no mundo da religião, você fica no ônibus. Quando você vive no mundo da espiritualidade que a sua religião ensina – ou pelo menos deveria ensinar, você desce do ônibus e dá um ovo de páscoa para uma criança que sofre a tragédia e miséria de uma paralisia mental."

Bem, gente fica aí uma reflexão sobre o ecumenismo tão falado e pouco realizao na vida prática.
E você amigo blogueiro, como se porta diante de uma situação desta?
Paz Profunda!


8 comentários:

  1. Elizabeth disse...

    Oi Norma,
    Passei para deixar-te um abraço.

  2. Rosan disse...

    olá Norma.
    sim esta é uma bela reflexão, assisti a uma palestra na semana passada sobre este assunto.
    espiritualidade deveria ser o carro chefe de qualquer instituição, asim não haveria este tipo de coisa, as pessoas pensariam mais em seus irmão, e menos em seus pontos de vista...quando olhamos os problemas das pessoas e pensamos em ajudar , as religiões deixam de ter importancia.

    um grande beijo de luz

  3. angela disse...

    A palavra religião significa re-ligar. Ligar novamente o homem com Deus e com todos os homens. A boa pratica religiosa defende seus valores humanitários sem sectarismos.
    Infelizmente vemos muito essa intolerancia e irracionalidade em muitas pessoas.
    beijos

  4. PAKI disse...

    Quando o que se busca para unir são as diferenças, não existe ligação. Somente quando as semelhanças nos unem, é que é possível religar-nos uns aos outros. Espiritualidade é alma, essência e semelhanças humanas. Dor, alegria, beleza, amor, emoções, sensações e tudo o que diz respeito ao humano, pois quem assim define tudo o que conhecemos são humanos. Qualquer conceito criado pelos humanos é humano. Qualquer categoria com a qual nos identifiquemos nos separa. Ou seja: religião, partido político, filosofia, estilo de vida, etc.

  5. Lilah disse...

    É preciso luz para compreender e enxergar Deus dentro de nós.
    Não importa templos....
    É preciso amor!

  6. LUCONI disse...

    Norma eu já fiz vários textos em que coloco exatamente isto, não importa a doutrina religiosa que seguimos,importa sim a prática da caridade, do amor ao próximo, todas as religiões são válidas, uma vez que cada alma tem um tipo de fome, necessita de um certo tipo de vivência, agora a fé no Pai Maior e nas suas Leis imutáveis em qualquer religião é o que importa. Um dia eu creio todos se unirão numa grande roda e já não haverá doutrinas religiosas, mas sim a certeza do Amor Universal, do Pai maior que vive em nós através de nossa centelha divina, muita paz e amor, beijos Luconi

  7. Carmem L Vilanova disse...

    Norminha linda!
    O presentinho que eu deixei lá no meu blog para você está neste post:
    http://moralesvilanova.blogspot.com/2010/05/seis-coisas-que-voces-nao-sabem-sobre.html
    E ainda está valendo... :o)
    Passei para deixar-te os meus habituais beijos, flores e muitos sorrisos!

  8. M disse...

    Ecumenismo "Tendência para a união de todas as igrejas cristãs numa só" (http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=ecumenismo)

    o que aqui defende é chamado de "diálogo inter-religioso" pelos cristãos (http://pt.wikipedia.org/wiki/Di%C3%A1logo_inter-religioso).

    bem-haja por este site que tão bem defende o que é importante.
    com um abraço,
    Madalena

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Caminheiros Evolutivos

Muito obrigada pela sua presença iluminada

Muito obrigada pela sua presença iluminada