METAPRINCÍPIOS - VOCAÇÃO

Postado por Norma Villares



Somos todos filhos e filhas de uma Promessa que fizemos a nós mesmos. Há uma semente inerente ao nosso Ser; recebemos talentos na medida de nossas possibilidades e, fazer com que rendam em abundância é a tarefa básica da existência.

A vocação é a voz de nosso mais íntimo desejo, a nos convocar para uma tarefa pessoal intransferível que representa a nossa contribuição singular ao universo.


Não foi especulando e lendo livros de filosofia que desvelei este tema tão essencial para cada ser humano. Foi no meu consultório, ao longo de mais de duas décadas sendo terapeuta, escutando a dor e o encantamento de pessoas a quem acompanhei no processo de cura e de individuação. Constatei, seguidamente, que a saúde plena não se reduz a um estado de ausência de doenças: é uma decorrência natural de um fluxo livre de individuação, de realização do nosso potencial inato, de alinhamento e transparência com aquilo que somos É o que traduzo afirmando que as enfermidades são advertências oriundas da inteligência profunda do organismo, anunciando que nos desviamos de nossos caminhos. Todo sintoma é denúncia de desvio, de contradição; cartas que recebemos com importantes mensagens existenciais. Nascemos para evoluir e adoecemos quando nos deixamos estrangular no curso singular de realização vocacional. Neste sentido, o sintoma psicossomático é um sonho orgânico que precisa ser decifrado, como se fora um texto sagrado, na sua dimensão significativa. A autêntica cura jamais pode ser reduzida à pura e mecânica eliminação do sintoma, decorrendo, isto sim, de uma escuta atenta e delicada de sua mensagem vital.


Há uma dimensão educacional na abordagem holística em terapia. No seu sentido original, educação provém do latim educare, significando trazer para fora a sabedoria inerente ao indivíduo: atualizar o seu potencial vocacional. Aprender a fazer plena e inclusiva escuta e leitura da sintomatologia como denúncia de descaminho, é uma importante etapa no caminho do autoconhecimento e individuação.


No Antigo Egito, o abutre era considerado um pássaro sagrado que constava do Panteão de Rá. Se você está fazendo uma travessia pelas areias abrasantes de um deserto, e avista um abutre voando no céu acima de sua cabeça, saiba que você se desviou do seu caminho e o agourento pássaro aguarda a sua refeição!... É hora, sem demora, de voltar-se para a bússola e o mapa para um processo de correção de rota. Da mesma forma, quando as asas negras da doença, do infortúnio e depressão circulam o céu da sua existência, a atitude sábia é a urgente e reflexiva busca de retomada do seu eixo original, do seu norte existencial, ou seja, da sua vocação.


Por outro lado, também necessitei de muitos anos na escuta terapêutica para constatar o lado luminoso desta mesma questão. Assim como o sofrimento pode nos indicar acerca de nosso desvio, é o deslumbramento que sinaliza o nosso acerto, quando estamos nos alinhando com o nosso propósito essencial. Escutar os momentos estrelados de bem-aventurança é um complemento indispensável à escuta da dor. Quando badalam todos os sinos da Catedral do Ser, quando tudo vibra em harmoniosa melodia, quando somos abençoados por uma imensa paz, é quando estamos sendo tocados pelas asas brancas do anjo do deslumbramento, a sussurrar em nosso íntimo:

Este é o teu caminho com coração! Não temas; vá por aí!


Eis a pergunta fundamental, que todo educador, orientador e terapeuta deve fazer ao seu acompanhante:

O que te faz arrepiar?

É assim que, pouco a pouco, farejamos e desvelamos a promessa inerente ao ser de cada pessoa. Pesquisar o fio de continuidade que conecta todos os nossos deslumbramentos, da infância ao momento atual, é o mais eficaz método da tarefa pedagógica prioritária do desvelar vocacional.


É muito triste ouvir um pai ou professor dizer a um jovem: “Faça tal curso ou siga tal carreira pois é o que há de melhor no mercado atual”. Esta é uma ação corruptora e desviante. Até onde posso compreender, há duas atitudes básicas frente ao trabalho.

A primeira é a de quem trabalha para ganhar dinheiro. Esta é a atitude miserável e normótica, de quem dispersará o precioso dom da existência vendendo-se por algo sem sentido; é vida perdida.

A segunda é a atitude nobre e saudável: a de quem ganha dinheiro realizando uma missão, uma vocação.

Quando percorremos um Caminho com Coração, então o Mistério há de conspirar por nós, pois estamos fazendo a nossa parte.

“Você tem medo?

Olha esta grama, olha aquele pardal; o Pai cuida deles. Você vale mais do que um pardal. Por que o Universo não cuidaria de você?”, indaga a sabedoria Crística. Uma das artes da individuação consiste em evoluir de uma existência perdida e alienada para uma existência escolhida e ofertada.


É através da vocação que está ao nosso alcance superar o modelo da especialização. Esta última limita e minimiza o raio de visão e ação. No modelo vocacional, o aprendiz é convidado a fincar as suas raízes no solo fecundo de seus talentos particulares, a fim de reunir a seiva para remeter o seu caule rumo ao céu. Assim, o desenvolvimento de uma competência específica, o aprofundamento numa determinada área do saber e fazer humano, não castrará a visão de altitude, que desvela um horizonte amplo de sentido e de orientação.

Como diz o antigo preceito taoísta, o alto descansa no profundo. Não será o dharma ou vocação do ser humano, à moda do arco-íris de Noé, fazer a ponte de Aliança entre a terra e o céu?

Vá em rumo de sua vocação, menos que isso é trair sua existência.

Siga...

Crema Roberto. Saúde e plenitude. Um caminho para o Ser. Editora Summus, 1995, 1ª edição, São Paulo-SP.


13 comentários:

  1. Adelia Ester Maame Zimeo disse...

    Norma, tem um selo à sua espera em meu blog. Beijos.

  2. Rosan disse...

    Oi NOrma.
    que texto interessante,
    penso que mesmo um simples operário, tem sua vocação, as vezes trabalhamos num determinado setor de indústria e não estamos contentes mesmo o salário sendo bom, já tem outros que nos sentimos em casa...isso eu chamo de vocação.
    existem as faculdades, os cursos, mas nem todos podem e não há esse tipo de trabalho para todos,
    e de existir o pedreiro, o motorista, o operador de máquinas, costureiras, em fim uma enfinidade de trabalhos que sem vocação sem amor não há razão de se fazer...
    sei por experiencia propria como é ruim trabalhar em algo que não se gosta....mas já passou hoje trabalho de novo no que gosto, e estou feliz.

    Norma, tem um selinho na bara lateral do meu blog, bem em cima, tem tres pode escolher o que mais gostar.
    um beijo

  3. Gislene disse...

    OLÁ, NORMA
    TEM UM DESAFIO PRA VOCÊ NO MEU BLOG!
    BEIJOS,
    GISLENE.

  4. Norma Villares disse...

    Adélia e Gislena muito obrigada, pelos mimos. Vou buscar. Abraços

  5. Norma Villares disse...

    Exato Rosan, como diz o poeta:
    Cada qual com o seu cada qual.

    É a alegria e satisfação da alma, quando percorremos um Caminho com Coração.
    Lindo!
    E então o Mistério há de conspirar por nós, pois estamos fazendo a nossa parte.
    Grata pela gentileza
    Abraços iluminados

  6. Jorge disse...

    Norma, tem um selo para você no blog. Se for igual ao que recebeste da Adélia, fica aqui a intenção de te oferecer, de coração, um carinho.

    Beijo,
    Jorge

  7. Norma Villares disse...

    Muito obrigada Jorge, realmente eu ganhei este selo de Rosan e zizinha, mesmo assim fica o agradecimento de coaçao. Abraços

  8. Maria José disse...

    Norma. Que texto maravilhoso. Eu o entendo além do seguir a vocação. Orientar, sintonizar sua bússula para o que gosta, serve para todas as coisas da vida. Maravilhoso. Beijos.

  9. Viveka disse...

    Parabéns por este blog tão instrutivo.

    Visite meu blog para instruir como devo iniciar, espero ajuda sua. Bj

  10. Norma Villares disse...

    Viveka está muito lindo. Grata amiga pela luz que espalha pelo mundo. Abraços sublimes

  11. Norma Villares disse...

    Maria José é isso mesmo, esta orientação do coração para aprender a SER, e seguindo a bússula da alma para realizar no planeta aarefa especial a si mesmo destinada. Grata!
    Abraços honrados

  12. Marcos Takata disse...

    Este pássaro sagrado nos acorda pra vida, para retomar ao caminho.
    Bijus amiga

  13. Norma Villares disse...

    E como acorda, o melhor de tudo é acordar pra SER quem você veio SER. Abraços honrados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Caminheiros Evolutivos

Muito obrigada pela sua presença iluminada

Muito obrigada pela sua presença iluminada