ONDE VOCÊ COLOCA O SAL?

Postado por Norma Villares


O velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo d'água e bebesse.

Qual é o gosto? - perguntou o Mestre.

Ruim - disse o aprendiz.

O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.
Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago.
Então o velho disse:

- Beba um pouco dessa água.

Enquanto a água escorria do queixo do jovem o Mestre perguntou:

- Qual é o gosto?'
- Bom! Disse o rapaz.
- Você sente o gosto do sal? Perguntou o Mestre.
- Não... - disse o jovem.

O Mestre então sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:

- A dor na vida de uma pessoa não muda, mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu.
Em outras palavras:

É deixar de ser COPO para tornar-se um LAGO.

Entender a vontade Divina nem sempre é fácil, mas crer que Ele está no comando e tem um plano pra nossa vida, faz a caminhada valer a pena.

"Se alguém lhe fechar a porta, não gaste esta energia com o confronto, procure janelas."Justificar

(Contos Zen-Budista)

Saudações

10 comentários:

  1. Unknown man disse...

    Norma,
    Maravilhoso ensinamento.
    A nossa dor é tão grande é o que pensamos. É que centramos no nosso egoismo e orgulho, deixamos o sal nas nossas dores. Temperamos o que sentimos em nós e deixamos de saborear a beleza da vida e seus ensinamentos.
    Esquecemos de Deus porque achamos que somos deuses.
    Que o sal não provoque pressão alta das nossas dificuldades. Sejamos pois o Lago!!!

    Beijos mil!

  2. GEEL - Grupo Espírita Esperança e Luz disse...

    Realmente só depende de cada um o sentimento da dor, porque se ficarmos apenas lamentando nossas perdas, com certeza o sal será muito mais difícil de engolir, mas se diluirmo-lo, a água não estará tão salubre.
    Abraços, parabéns pelo texto.

  3. Carmem L Vilanova disse...

    Minha linda Norminha,
    Ha' alguns anos eu tambem ja' publiquei este texto no meu blog, sob o titulo "Torne-se um Lago", provavelmente em 2006, por acreditar na importancia do valor que damos as coisas e o grau de importancia com a qual a dispomos em nossas vidas... onde colocamos o nosso sal!
    Muito bom, minha amiga!
    Beijos, flores e muitos sorrisos!

  4. angela disse...

    É uma divina historia.
    beijos

  5. Norma Villares disse...

    Angela muito obrigada pelka visita de 2010. Quanta luz!
    Beijinhos

  6. Norma Villares disse...

    Unknown man meu bom amigo, obrigada pela presença de luz.
    Sim, a nossa dor é maior que a de todos.
    Este ensinamento mostrar a ser como lago.
    Sublimes abraços

  7. Norma Villares disse...

    Carmem que bom que você postou também. Muito bom este texto. Obrigada pela presença iluminada.
    Beijinhos

  8. Norma Villares disse...

    GEEL - Grupo Espírita Esperança e Luz é um grande alegria receber em nossa casa, tão ilustre presença.
    Muito obrigada pelo comentário.
    Abraços sublimes

  9. Adelia Ester Maame Zimeo disse...

    Norminha Querida, tenho imensa afinidade com a filosofia do zen budismo. Ensina a poupar um confronto desnecessário. Ao invés disso, pode-se contornar, preservando-se emocionalmentemente e fisicamente. Evita-se o quebrar interno e externo. Assim como o bambu. Lindíssimo post! Beijo Afetuoso.

  10. Cláudia Beck disse...

    Querida!!!
    Obrigada por tanta Luz!
    Namastê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Caminheiros Evolutivos

Muito obrigada pela sua presença iluminada

Muito obrigada pela sua presença iluminada