MÚSICA ELEVAÇÃO ESPIRITUAL PARA EQUILIBRAR O CEREBRO

Postado por Norma Villares






Namaste! 
Eu  estava passeando no youtube garimpando músicas bonitas,  quando me deparei com esta música publicada pela CONFRARIA DO BRUXO,  e fui ouvir o vídeo todo, que sentimento de alegria brotou em meu coração... Que maravilha de trabalho, benditos sejam estes cientistas que nos presenteiam com tantos beneficies.  Saúde e longevidade para eles. Amei de paixão.  Parabéns a Confraria do Bruxo pelo compartilhamento. Paz e Amor ao planeta terra! 

"MÚSICA ELEVAÇÃO ESPIRITUAL PARA EQUILIBRAR O CÉREBRO

 MUSIC TO BALANCE THE BRAIN´S HEMISPHERES


O SOM DA CURA -


A ideia de que a música pode promover uma união não verbal ganhou apoio adicional de um estudo de  2008, feito pelos neurocientistas Nikolaus Steinbeis, do Instituto Max Planck para Cognição Humana e Ciências Cerebrais, e Stefan Koelsch, da Universidade de Sussex, na Inglaterra. Eles usaram ressonância magnética funcional para mostrar que determinada área do cérebro respondia a acordes, mas não a palavras, em um teste no qual os voluntários escutavam ambos. A região responsiva era o sulco temporal superior: uma parte da superfície cerebral, perto dos ouvidos, que responde a pistas sociais não verbais - como movimentos corporais e olhares. A ativação dessa região indica que a música pode ajudar a forjar laços sociais. Qualquer que seja sua origem, tal coesão é extremamente valiosa para animais comunitários, como nós, e por isso traços que aumentam tal unidade tendem a persistir ao longo das gerações.


A base de nossas impressões conscientes a respeito de um tom são os efeitos fisiológicos. Estudos mostram que a música alegre, tensa ou empolgante pode excitar fisicamente o ouvinte, desencadeando resposta de luta e fuga: as taxas cardíacas e respiratórias aumentam, a pessoa pode suar e a adrenalina penetra na corrente sanguínea. Esse efeito explica por que tantas pessoas gostam de ouvir rock ou hip-hop enquanto fazem ginástica -- a música instiga respostas do sistema fisiológico para a execução de movimentos de alta energia. O efeito psicológico também é importante: a distração torna o exercício mais divertido. De forma geral, melodias energizantes tendem a  melhorar o humor, nos deixando mais despertos quando estamos cansados e criando sensação de empolgação."



Ouçam o vídeo e depois me contem, que o Divino Mestre nos abençoe.
Paz Profunda a todos blogueiros!
Sublimes abraços
Norma Villares


Eu achei, li, gostei e estou compartilhando este texto e vídeo em nosso espaço,  no seguinte endereço :

https://www.youtube.com/watch?v=8ZaIUbVnJEA

http://confrariadobruxo.blogspot.com.br/







"De augúrios da inocência"

Postado por Norma Villares




- William Blake -

Ver um mundo num grão de areia,
E um céu numa flor do campo,
Capturar o infinito na palma da mão
E a eternidade numa hora

Um tordo rubro engaiolado
deixa o céu inteiro irado
Um cão com dono e esfaimado
prediz a ruína do estado
Ao grito da lebre caçada
da mente, uma fibra é arrancada
Ferida na asa a cotovia,
um querubim, seu canto silencia....
Toda noite e toda manhã linda,
uns nascem para o doce gozo ainda
outros nascem numa noite infinda
Passamos na mentira a acreditar
quando não vemos através do olhar
que uma noite nos traz e outra deduz,
quando a alma dorme mergulhada em luz
Deus aparece e Deus é luz amada
para aqueles que na noite têm morada
E na forma humana se anuncia,
para aqueles que vivem nas regiões do dia.




 
"Cada um de nós conhece a linguagem da própria alma, apenas não lembra qual o poema-canção que a constitui. Isso explica porque alguns textos nos "deslocam" do nosso eixo: é um (re)conhecimento da linguagem primordial, aquela que nos traduz em nossa verdadeira essência.

Ao ler um poema que nos "toca", estamos lendo um pedacinho de nós mesmos. A magia instala-se neste (re)encontro com nosso "eu" mais profundo, ainda inexplorado e adormecido, que jaz submerso pela ação do mundo das aparências."


 Eu fico pensando com os meus botões, a  poesia toca numa linguagem sutil e vibra nos labirintos da alma... A ressonância é pessoal e traduz a nossa essência original. E cada pedacinho de nossa noite escura d'alma é trazido a luz do dia, numa magia que descotina num encontro de sombra e luz vibrando a ser explorado além das aparências.

E só depois cair a ficha de nossas inconclusões.
Conspiração da vida e da luz.
Paz Profunda!

Norma Villares

EXPERIÊNCIAS DA VIDA

Postado por Norma Villares






“Jamais leve as experiências da vida tão a sério. Jamais deixe que elas o magoem, pois na realidade, elas nada mais são, do que experiências de sonho…

Se as circunstâncias forem ruins e você precisar suportá-las, nunca faça delas uma parte de você mesmo. Desempenhe o seu papel no palco da vida, lembrando-se sempre, de que se trata apenas de um papel.

O que você perder no mundo, nunca será uma perda para sua alma. Confie em Deus e destrua o medo, por que ele paralisa todos os seus esforços para ser bem sucedido na vida, e atrai para você, exatamente aquilo que você receia…”


PARAMAHANSA YOGANANDA




Visite Portal dos Anjos e das Estrelas de Avalon em: http://portaldosanjos.ning.com/?xg_source=msg_mes_network

A CURA INTEGRAL

Postado por Norma Villares










A história do espiritismo no Brasil é cheia de exemplos enriquecedores, alguns bem conhecidos, outros permanecem ainda guardados, talvez esquecidos em gavetas empoeiradas.

Abrindo um livro de orações, guardado e esquecido há pelo menos 60 anos, descobri não somente gavetas, mas portas de quartos escuros, empoeirados, mas íntegros, que o tempo guardou e tranquilamente esperavam para serem abertos e desvendados!

Assim, depois de quase 100 anos, vejo-me inteiramente absorvida na leitura da história de um grupo de espíritas pioneiros de Porto Alegre, lendo a história do Grupo Espírita D.Feliciano, fundado em Porto Alegre em 1901, e que teve seu nome mudado em 1921 para Sociedade Nazarena Anjo Feliciano. Detive-me então a pensar sobre um dos seus aspectos - o comportamento de seus membros frente a doença.

Esta Sociedade pregava - e praticava - que não havia necessidade de uso de medicamentos para a cura de doenças. Em escritos deixados por membros da Sociedade, em forma de atas de reunião, e de um levantamento histórico entre o período de 1901 e 1925, lê-se o seguinte: "...a [nossa] sociedade ser a única que realmente segue a religião de Jesus, obedecendo até o seu método de cura, o que usou Jesus e seus apóstolos quando transitaram neste planeta, método este que consiste exclusivamente em, curando os doentes, sarar também os sofredores desencarnados, fazendo-os conhecer bem de perto Jesus e se aproximarem de Deus pela prática da religião única consignada no Novo Testamento. ".

O texto completo é quase um retrato de como pensavam aqueles homens do início do século: suas crenças, seus ideais. Giravam eles em torno do fundador do grupo, Alfredo Silveira Dias, um homem de ideal, com uma grande fé em Deus e no mundo espiritual. Certamente, um líder que conduziu muitas pessoas à renovação moral e espiritual, que viveu o que pregou, já que ainda hoje carrega de emoção as vozes das pessoas quando dele se referem. Sobre suas idéias é que escrevo. Já que ele, liderou a Sociedade por mais de 50 anos, e ainda hoje encontramos alguns seguidores dessas idéias. Idéias que talvez tenham sido deturpadas com o passar do tempo - e quem somos nós para julgar? - mas que na essência continham um bom entendimento do que é a vida.

Um dos aspectos mais interessantes desta Sociedade, e talvez o que levou seus membros a serem muitas vezes agredidos por jornais e pela sociedade local, era a sua rígida moral (talvez, reflexo da sociedade brasileira do início do século passado) e o repúdio aos medicamentos.

A Sociedade pregava que para a cura radical não são necessários remédios, mas a renovação moral - 'conhecer de perto Jesus', o uso da bioenergia ou 'o método que usou Jesus' e a "possibilidade de cura dos sofredores desencarnados".
Analisemos portanto com lógica e frente ao espiritismo o que significa a cura radical.

Saúde é a ausência de doença de qualquer espécie - física, emocional e espiritual, portanto, a cura total ou radical é também a ausência de doença física, emocional e espiritual.

Como obter a cura total? Tratando a causa da doença e não os seus efeitos. Onde está a causa da doença? Quais são os seus efeitos? Os efeitos da doença manifestam-se no corpo físico, ou afetando o estado emocional e psicológico, e num nível mais profundo, no corpo espiritual ou perispírito. As causas podem ser várias, mas estão relacionadas com o que é o Ser individual, sua personalidade manifesta, seu inconsciente ou subconsciente. Elas podem ser encontradas impressas no perispírito, já que este "é o envoltório semi-material do Espírito, e que nos encarnados, serve de laço ou intermediário entre o Espírito e a matéria; e nos Espíritos errantes, constitui o corpo fluídico do Espírito".

Deste modo, para se atuar sobre a(s) causa(s) da doença, deve-se atuar sobre o perispírito ou mais profundamente, sobre o Espírito ou Ser Espiritual.

Os remédios atuam sobre o corpo físico ou encarnado, sendo portanto somente paliativos, já que curam os efeitos, mas não as causas das doenças. O problema de curar a doença, é como já dissemos, e bem sabemos, curar a sua causa ou curar o Ser Espiritual.

Para o espírito regenerar-se ou curar-se, é preciso muitas vezes, a atuação ou ajuda espiritual, através da prece, da bioenergia, da doutrinação dos desencarnados que ora se ligam ou são atraídos pelo indivíduo. Todos estes fatores atuam sobre o perispírito, e auxiliam a cura do Ser Espiritual. Mas, a cura do Ser espiritual, a um nível mais profundo, requer ainda um pouco mais - requer uma mudança de atitude, de personalidade manifesta, do consciente e do subconsciente. Requer, portanto uma mudança profunda e definitiva!

A cura espiritual segue-se a cura do corpo, já que o corpo reflete o espírito.

Assim, a cura radical ou integral, é a cura do causa da doença e dos seus efeitos, que somente é obtida com a mudança radical daqueles aspectos desencadeadores da doença ou seja, com a renovação do indivíduo.

E, facilmente, chegamos a conclusão que os membros pioneiros daquele grupo espírita tinham razão! A cura integral só é atingida através da renovação moral do indivíduo ou do Ser Espiritual.

Uma vez que reconhecemos que a causa da doença esta no próprio indivíduo, analisemos agora, mais detidamente o problema da renovação ou mudança, e depois passaremos a discutir como agir ou mitigar os efeitos, físicos ou emocionais desta causa.

Mudança radical significa mudar-se e não voltar ao estado inicial. O problema é que nem todos estamos preparados para uma mudança radical em pouco tempo. Aliás, diria melhor, muito poucos o conseguem. Mudanças de comportamento são lentas e custosas.

Uma comparação simples, é o hábito de fumar. Uma pessoa que fuma por 20 anos, quanto tempo leva para parar de fumar? Com muito esforço, depois de umas tantas tentativas frustradas, onde o hábito renitente vai e volta outras tantas vezes, o indivíduo consegue, e pára de fumar. Mas, quanto tempo leva o corpo para se livrar dos venenos que o cigarro deixou? Um ano? Dois anos? As vezes não se livra nunca (nesta vida) e morre com o pulmão contaminado!

Agora imaginem um habitozinho, destes que vem de séculos, que não precisa ser muito 'sério', uma vaidadezinha à toa, um egocentrismo pequeno, aquela raivazinha que aparece quando nos contradizem, mas literalmente nos come por dentro?!
Será que é de um dia para o outro que nos livramos dela e realmente mudamos?

Mudanças radicais são lentas, por que são o resultado do conhecimento adquirido e da integração deste conhecimento à personalidade ou ao ser espiritual!

Portanto, mudar-se significa trabalhar interiormente o aspecto que se quer modificar, e para isto primeiro, é preciso identificar o que se quer e pode ser mudado - é o auto-descobrimento.

Primeiro, o indivíduo se auto-descobre, torna-se consciente do que é, e do que não é. Conhece os seus aspectos positivos, e aqueles aspectos negativos da sua personalidade. Aprende a identificar quando está com raiva e a perceber que tem raiva - para, identifica e pensa.

Numa segunda fase, ele entende que precisa mudar-se, regenerar-se. Passa então, a não reagir, mas a agir. É aí que começa a mudança. Aos poucos, lentamente.

O Espiritismo vem ajudar o indivíduo através da bioenergia (imposição de mãos ou qualquer dos seus métodos) a limpar seu campo energético, seu perispírito, para que eliminando as impurezas fluídicas ou energéticas do perispírito, ele possa se auto-descobrir mais facilmente, e rapidamente. O Espiritismo trazendo o conhecimento do amor, da caridade, a doutrinação moral (doutrinação aqui no sentido de trazer o amor e a moral de Cristo) ajuda a entender onde estão suas falhas e como modificar o próprio comportamento, ajudando assim, indiretamente, também os desencarnados que estão a ele ligados por afinidades morais presentes ou passadas a também reconhecerem-se e auto-descobrirem-se.

Este é o processo de cura espiritual, o qual exige esforço próprio, mudança radical e que levará a cura radical, pois a cura espiritual se refletirá no organismo encarnado e levará a cura da doença corporal. Eliminando a causa, o efeito desaparece.

Este processo, é, como já dissemos, lento e demorado. Na maioria das vezes distorções de caráter/moral apesar de muito pequenas, originaram-se e permaneceram no ser espiritual por anos, séculos ou milênios. Estas pequenas deformações morais deixaram marcas no perispírito que podem gerar fraquezas no corpo encarnado atual e levar ao desencadeamento de doenças, mais ou menos graves. Algumas destas doenças são passíveis de serem combatidas pelo indivíduo sozinho, sem ajuda de medicamentos de qualquer espécie. Outras são no entanto, mais profundas, residem no subconsciente, ou falando em termos energéticos, situam-se em camadas mais profundas do ser espiritual. Para que a cura total se realize, é preciso atuar nestas camadas profundas, faz-se necessária uma ação conjunta sobre o corpo encarnado e o corpo espiritual.

Assim, trata-se o corpo com os recursos necessários para amenizar a dor, e os efeitos visíveis da doença, e o corpo espiritual, onde reside a verdadeira causa da doença.

Neste tratamento conjunto, aliam-se: os medicamentos, que podem ser alopáticos (químicos), homeopáticos ou naturais, à técnicas alternativas, que atingem mais facilmente o perispírito como: a bioenergia, a ação dos cristais, florais de Bach, cromoterapia, massagens em pontos de concentração de energia (bloqueios energéticos), acupuntura e várias outras técnicas disponíveis hoje em dia.

Assim, os medicamentos e técnicas da medicina convencional, homeopática e alternativa agem conjuntamente, com o auxílio espiritual ministrado através da prece, do passe, da doutrinação nos princípios cristãos através do Espiritismo, para que a saúde do ser físico e espiritual seja restabelecida.

Fica claro aqui que, como já disse anteriormente, existem lesões no ser espiritual que por serem mais profundas não podem ser curadas no período relativamente pequeno de uma vida terrena. O processo pode iniciar-se no corpo encarnado, curando as camadas externas do perispírito ou facilitando que a doença aflore nas camadas mais externas, liberando-a das camadas mais profundas, e terminar no mundo espiritual.

Existem exceções, quando por merecimento, vontade de renovação individual intensa, profunda e determinada, acompanhada por uma renovação moral cristã, em que a cura espiritual é obtida em uma reencarnação, ou mesmo em um período breve da existência na terra.

O que se diz em medicina terrena, também se aplica a medicina espiritual - cada caso é um caso - e deve e será analisado e tratado individualmente.

A fé, a vontade firme de renovar-se moralmente e integralmente, o amor e a perseverança no bem, é que vão determinar ou provocar a cura.



(Este artigo foi publicado na Revista Espirita da Mansão do Caminho. É parte de um estudo sobre um dos primeiros núcleos espiritas de Porto Alegre, RS, e do qual a familia de o pai da autora fez parte desde o início.
Rejane faz parte do Verein für espiritistisches Studien Allan Kardec - VAK (Sociedade de Estudos Espíritas Allan Kardec, em Vienna, Austria).


Rejane de Santa Helena

Verein für Espiritistische Studien Allan Kardec (VAK)
Spengerstrasse, 10/3, entrada pela Jahngasse, 28
1050 Viena - Áustria
+ 43-1-5442453 - + 43-1-5442453 (fax)
vienna_kardec@hotmail.com
ou spiegelberg@utanet.at

(Publicado no Boletim GEAE Número 424 de 21 de agosto de 2001)


Eu li, gostei e encontrei no blog do JORGE NÉCTAN 

 Sublimes abraços

Norma Lúcia

Fonte:   http://espiriteiro.blogspot.com/





APOMETRIA

Postado por Norma Villares



A Cura Pelo Espírito

“ Nem sempre o mal que nos aflige pode ser curado por substâncias químicas. ”



A Apometria surgiu há mais ou menos 40 anos, como recurso terapêutico empregado por um médico chamado Dr. José Lacerda de Azevedo. Foi em Porto Alegre que esse estudioso da Física Quântica descobriu ser possível a cura de seus pacientes utilizando essa técnica fantástica. Percebeu que, empregando impulsos magnéticos, conseguia desdobrá-los, doutrinar e encaminhar possíveis vítimas do passado reencarnatório e obtendo assim a alta de muitos enfermos. Curava a alma e isto se refletia no físico como  

“cura aparentemente milagrosa”.

A Medicina tem acompanhado de perto essa terapêutica através dos workshops promovidos pelo terapeuta espírita José S. Godinho, do Centro Espírita Ramatis de Lages SC. São inúmeros médicos que se inscrevem e participam.

Para explicar melhor, Apometria é a ciência, aliada ao Espiritismo, numa busca animadora de cura para doenças aparentemente incuráveis.

Enfermidades de difícil diagnóstico e tratamento como fobias, distúrbios, psicoses, traumas, síndromes e medos absurdos e inconcebíveis, como também enxaquecas crônicas, problemas de comportamento, vícios, muitas vezes originados no passado milenar das criaturas, acabam desaparecendo nos atendimentos apométricos.

A Apometria trabalha limpando nossos corpos sutis, num desdobramento anímico para curar nossos apegos, neuroses e complexos de vidas passadas comprometidas com o erro.
É estudo profundo, de muita disciplina, responsabilidade e respeito ao ser humano, seja ele encarnado ou desencarnado. Não se julga, apenas transmuta-se, reconstitui-se, orientam-se e encaminham-se os assistidos para instituições assistenciais do mundo espiritual. Todos nós nos situamos na posição de vítimas ou algozes, fomos senhores ou escravos, traímos ou fomos traídos, erramos muito e acertamos algumas vezes.


Como espíritos que todos somos, por conta de nossa ignorância, rebeldia e irresponsabilidade, vivemos robotizados e num círculo vicioso de encarnações mal sucedidas, cometendo extravagâncias, excessos e maldades sem conta, contabilizadas como desvantagens tremendas para a nossa evolução. Resta-nos colher do joio que plantamos as dificuldades, os obstáculos e vicissitudes... Mas a misericórdia Divina nos alcança através dessas terapias conhecidas no nosso ontem e só agora “bem utilizadas”.
Vale dizer que apenas uma minoria vem se esforçando, se doando, fazendo com que suas horas se dilatem para que possam se fazer presentes, dispostos, disponíveis, desinteressados e em busca dos bens imperecíveis. O verdadeiro salário que gratifica, sensibiliza e satisfaz plenamente é este: o da alegria! Tivessem todos este ideal de vida e o nosso planeta de provas e expiações seria já de amor, paz e luz...
Não devemos esmorecer, mas nos unirmos e nos fortificarmos nessa corrente para frente, nessa certeza de não laborarmos sozinhos. Uma equipe de leais missionários da luz nos dão guarida nessa tarefa abençoada de socorrer multidões de aflitos, desorientados e desajustados de toda sorte, que nos rodeiam, solicitam e inspiram boas obras.

Para aqueles que vão se juntar a nós na tarefa de socorristas e trabalhadores da última hora, devemos lembrar que o estudo do Espiritismo, das obras básicas da codificação e outras leituras edificantes e informativas, aliadas à prática da “reforma íntima” constante e uma intensa vontade de servir ao semelhante, com fé e confiança absoluta na espiritualidade, farão a diferença, pois aquele que chega por curiosidade logo se vai, e não permanece, aquele que ainda não tem certeza do caminho que deseja seguir... Gostaríamos de frisar que nós que labutamos nessa difícil empreitada, não estamos imunes às ocorrências problemáticas do dia-a-dia, pois estamos pagando moratórias vencidas por longos milênios de invigilância. Mas uma coisa é certa, a conta será resgatada em menos tempo e com menos dores. Isso não é animador?
Lá se vão 25 mil anos da Atlântida até os dias de hoje, e de lá para cá viemos progredindo ou estacionando nas nossas idas e vindas... e ainda hoje há quem pense que viemos para cá só para comer, beber, dormir, procriar e levar vantagens! Viver é o que interessa, o resto não tem pressa?

Procuremos não só usufruir, mas olhar para o irmão infeliz e sofrido e ajudá-lo a sorrir. Ligarmos-nos que só o amor cobre a multidão de pecados. Se fosse só essa vida, como ficaria a Justiça Divina perante as diferenças sociais, físicas espirituais, intelectuais e morais?

Seja você o próximo a ser socorrido ou a socorrer, não importa... o que conta mesmo é acordarmos para as verdades espirituais o quanto antes! 

(Neli)


Bem, este texto foi encontrado  no GRUPO RAMATIS,  escrito por Neli,   não tinha sobrenome, cujo endereço está aí, basta clicar.

Abraçoos sublimes.
Norma Lúcia


Fonte:
 



http://www.gruporamatis.com.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=83&Itemid=61

A NATUREZA DA INTEREXISTÊNCIA

Postado por Norma Villares






“Sabemos que uma flor é feita somente de elementos não-flor, isto é, luz solar, terra, água, tempo e espaço. Tudo no cosmo vem junto para realizar a presença de uma flor, e a essa condição sem limites chamamos de elementos não-flor.” Sabedoria do I Ching

Isso não são apenas palavras. É a nossa experiência, o fruto de nossa prática de observar profundamente. Podemos ver a natureza da interexistência, olhando qualquer coisa. Um eu não é possível sem elementos do não-eu.

Olhando profundamente qualquer coisa, vemos o cosmo todo. O um é feito de muitos.
Abrindo um campo para pessoalidade, se cuidarmos bem de nós mesmos, caminhamos para cuidar bem dos outros ao nosso redor. Assim a minha felicidade e estabilidade também influencia na deles. Da mesma forma a minha maldade não redimida potencializa a maldade dos outros.

Perceba o pensar e o não pensar. E depois me conte...
Abraços em sua natureza interexistencial.

Norma Lúcia




Esclarecimento sobre o Espiritismo

Postado por Norma Villares






Este texto eu recebi  por email,  escrito pelo Sr. Wilson, mas não tinha sobrenome, por isto não coloquei,  a qualquer momento colocarei se aparecer alguém reclamando. Coisas da internet, risos. 

"Somos frequentemente abordados acerca da natureza das práticas espíritas, mais ou menos nestes termos, dentre outros: “_ Se eu for ao Centro Espírita vou ver os espíritos?” “Morro de medo de Centro Espírita, tenho medo dessas “coisas”. “Se eu for ao Centro, receberei mensagem de meu filho morto?” “Seu Centro é de mesa branca ou preta?” E por aí vai. 
 
Muito naturais estes tipos de dúvida. Chegamos a perceber inclusive, um certo preconceito contra os espíritas em alguns segmentos da sociedade. 


Partindo do princípio que o objetivo de todo jornalística ético e sensato é o de informar bem, com coerência, honestidade, dignidade e imparcialidade, preocupando- se sempre com o indispensável conhecimento da causa que leva a reportar, venho apresentar-lhes uma contribuição em cima de um assunto que muitos profissionais do jornalismo, embora bem intencionados, terminam cometendo equívocos lamentáveis, por uma inexplicável ignorância que compromete os seus nomes bem como o dos veículos por onde vinculam as suas matérias ou reportagens.
Falo com respeito ao assunto Espiritismo, tema este que invariavelmente é visto apenas no campo religioso, o que na verdade não é, e sobretudo, o que é mais lamentável, sempre enfocado com afirmativas de conceitos absurdos, oriundos do "achismo" e também de uma cultura criada na cabeça das pessoas, pela intolerância e a desonestidade religiosa.
Não objetivo aqui defender crença ou fé nenhuma, porque não é isto que está em questão. Só quero mesmo prestar contribuição ao gigantesco segmento honesto do jornalismo acerca de uma coisa, como ela realmente é, para que ele esteja melhor informado, sem a menor pretensão de querer fazer com que nenhum profissional o aceite, concorde com os seus postulados e, muito menos, se converta.
Vamos aos assuntos:

Espiritismo não é igreja
 
Em princípio corrijam a conceituação inicial: Espiritismo não é simplesmente religião. Ele não veio ao mundo com objetivo nenhum de ser religião. Trata-se de uma doutrina filosófica, com base calcada na racionalidade, na lógica e na razão, apenas com conseqüências religiosas, haja vista que os seus adeptos ficam livres da submissão a qualquer religião, por não serem obrigados a coisa nenhuma e nem serem proibidos de nada. Há centros espíritas que se portam como se fossem igrejas, mas isto é produto da concepção equivocada dos seus dirigentes, que ainda sentem a necessidade da rezação, em que pese o Espiritismo ser algo muito acima disto.

Não existe "Kardecismo" , existe "Espiritismo".
 
O jornalista equivocado costuma utilizar-se da expressão "kardecismo", para identificar algo que ele imagina ser uma "ramificação" do Espiritismo, achando que Espiritismo é um "montão de coisas" que existe por aí, quando na realidade não é.
A palavra "Espiritismo" foi criada, ou inventada, como queiram, pelo senhor Allan Kardec, exclusivamente, para denominar a doutrina nova que foi trazida ao mundo, por iniciativa de Espíritos, e que tem os seus postulados próprios.
Portanto, qualquer crença ou prática religiosa que utiliza-se da denominação "Espiritismo" , fora desta que se enquadre nos seus postulados, está utilizando-se indevidamente de uma denominação, mergulhando no campo da fraude. Daí a verdade que o nome disto que vocês chamam de "kardecismo" , verdadeiramente é "Espiritismo" .
Apenas para clarear o campo de conhecimento dos que ainda têm dúvidas, em achar que Candomblé, Cartomancia, Necromancia, Umbanda e outras práticas espiritualistas é Espiritismo, vai aqui uma pequena tabela, exemplificando algumas práticas de alguns segmentos, para apreciação daqueles que consideram relevante o uso da inteligência e do bom senso, a fim de um discernimento mais coerente e responsável.
 

Veja quem adota e quem não adota o quê.

Procedimento, prática ou ritual
Umbanda
Catolicismo
Espiritismo
Uso de altares
Sim
Sim
Não
Uso de imagens
Sim
Sim
Não
Uso de velas
Sim
Sim
Não
Uso de incensos e defumações
Sim
Sim
Não
Vestimentas e paramentos especiais
Sim
Sim
Não
Obrigações aos seus praticantes
Sim
Sim
Não
Proibições aos seus praticantes
Sim
Sim
Não
Ajoelhar-se, sentar-se e levantar-se em seus cultos
Sim
Sim
Não
Bebidas alcoólicas em seus cultos
Sim
Sim
Não
Sacerdócio organizado
Sim
Sim
Não
Sacramentos
Sim
Sim
Não
Casamento religioso e batizados
Sim
Sim
Não
Amuletos, patuás, escapulários e penduricalhos
Sim
Sim
Não
Hinos e cantarolas nos cultos
Sim
Sim
Não
Crença na existência de satanás
Sim
Sim
Não




A Doutrina Espírita ou o Espiritismo, conforme reconhece os CONSELHO ESTADUAL ESPÍRITA da UNIÃO DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, é o conjunto dos ensinamentos ministrados pelos Espíritos Superiores a Allan Kardec, com bases científicas, filosóficas e de consequências religiosas, devidamente codificadas nas obras por ele publicadas, tais como: 


- O Livro dos Espíritos (18/04/1857);
- O Livro dos Médiuns (1861);
- O Evangelho segundo o Espiritismo (1864);
- O Céu e o Inferno (1865) e
- A Gênese (1868). 

 
O vocábulo ESPIRITISMO, neologismo criado por Allan Kardec, compreende a Doutrina transmitida pelos Espíritos, sendo seus adeptos denominados ESPÍRITAS ou ESPIRITISTA.
O Espiritismo, além da crença em Deus e na imortalidade da alma - base de todas as religiões - difere das demais por fundamentar-se na preexistência da alma, nas vidas sucessivas ou reencarnação, na comunicação dos Espíritos com os homens e na pluralidade dos mundos habitados.
A doutrina dos Espíritos, embora respeite todas as crenças, não tem vínculo algum com cultos de origem africana, fetichismo, outros credos, seitas ou rituais de magismo, pois não resulta de qualquer forma de sincretismo relegioso.
O Espiritismo não é responsável pelo uso indevido da mediunidade para fins ilícitos e comerciais, uma vez que tem como norma, para todas as suas atividades, o "DAI DE GRAÇA O QUE DE GRAÇA RECEBESTE", recomendado por Jesus.
Longe de negar ou destruir o Evangelho, o Espiritismo confirma, explica e desenvolve tudo quanto Jesus Cristo disse e fez, tornando mais claras certas passagens que pareciam inadimissíveis, bem como reconhece que a vivência de seus ensinamentos é o objetivo a ser atingido pela humanidade.
Só há um Espiritismo, o que foi codificado por Allan Kardec, não existindo, portanto, diferentes ramificações ou categorias, como "alto" ou "baixo Espiritismo" , "Espiritismo de Mesa", "Espiritismo Elevado" ou outras desse gênero. 

O CONSELHO ESTADUAL ESPÍRITA da UNIÃO DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, interpretando os postulados da Doutrina dos Espíritos - para qual o verdadeiro culto é o interior - esclarece que no Espiritismo não se adota a prática de atos, uso de objetos e cultos exteriores, tais como:
  1. exorcismo;
  2. sacrifícios de animais e muito menos de seres humanos;
  3. rituais de iniciação de qualquer espécie ou natureza;
  4. paramentos, uniformes ou roupas especiais;
  5. altares, imagens, andores ou outros objetos materiais;
  6. promessas, despachos, risca-duras de cruzes, pontos ou hábitos materiais oriundos de quaisquer concepções religiosas ou filosóficas;
  7. rituais e encenações extravagantes de modo a impressionar o público;
  8. confecções de horóscopos, exercícios de cartomancia, jogo de búzios ou práticas similares;
  9. administrações de sacramentos como batizados e casamentos, concessões de indulgências, sessões fúnebres ou reuniões especiais para preces particulares a desencarnados;
  10. talismãs, amuletos, orações miraculosas, bentinhos, escapululários, breves ou quaisquer objetos semelhantes;
  11. pagamentos e ou contribuições de qualquer natureza por benefícios prestados;
  12. atendimentos de interesses materiais para "abrir caminhos";
  13. danças, procissões e atos análogos;
  14. hinos ou cantos em línguas mortas ou exóticas;
  15. incenso, mirra, fumo, velas ou substâncias outras que induzam à prática de rituais;
  16. qualquer bebida alcoólica ou substâncias alucinógenas. 
O CONSELHO ESTADUAL ESPÍRITA da UNIÃO DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, por fim, só reconhece como legítimos Centros Espíritas as instituições que vivenciam a Doutrina Espírita tal como está claramente definido nesta Diretriz. "
 


Saudações!
Abraços sublimes
Norma Lúcia
 


 Fonte:
http://www.gruporamatis.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=216:esclarecimento-sobre-o-espiritismo&catid=63:artigos&Itemid=175

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Caminheiros Evolutivos

Muito obrigada pela sua presença iluminada

Muito obrigada pela sua presença iluminada