CAMINHO DO MEIO

Postado por Norma Villares


Sona, discípulo de Buda, cansou-se dos rigores do ascetismo e resolveu voltar a uma vida de prazeres.


O Buda lhe disse: - Não foste alguma vez destro na arte do alaúde?
- Sim, Senhor, disse Sona.

- Se as cordas estão demasiado tensas, darão o tom justo?
- Não, Senhor.

-Se estão demasiado frouxas, dará o alaúde o tom justo?
- Não, Senhor.

- Se não estão demasiado tensas nem demasiado frouxas, estarão prontas para ser tocadas?'
- Assim é, Senhor.
-Da mesma maneira, Sona, as forças da alma demasiado tensas caem no excesso, e demasiado frouxas, na moleza. Assim, pois, Sona, faz com que teu espírito seja um alaúde bem afinado.

Eis uma história que mostra uma antítese búdica à guerra cotidiana de ajustes dos contrários, apontando para o caminho do meio. Um dos jogos mais difíceis de vivermos no mundo da matéria, pois muitas vezes cristalizamos num dos lados sem ter forças para equilibrar nas rotas do caminho de um centramento equilibrado. É preciso ajustar muito bem as cordas do alaúde de nossa alma, com perfeição milimétrica para realizar o caminho do meio com uma excelente afinação.
Paz Profunda!


Fonte: Borges Jorge Luiz. Jurado, Alícia. Buda. Editora Difel, Rio de Janeiro, 1977.
Fonte da imagem: http://tornarsepessoa.blogspot.com/

ISSAC NEWTON UM CIENTISTA BRILHANTE

Postado por Norma Villares


Newton (1642-1727) foi um dos mais brilhantes cientistas de todos os tempos.

Sir Isaac Newton - físico, matemático e astrónomo inglês, nasceu em 25 de Dezembro de 1642 na cidade de Woolsthorpe, Lincolnshire, Inglaterra. Newton veio de uma família de agricultores, mas o seu pai morreu antes de seu nascimento. A sua mãe casou-se novamente, mudou-se para uma aldeia próxima e deixou-o aos cuidados da avó. Um tio ao aperceber-se do seu talento extraordinário convenceu a mãe de Newton a matriculá-lo em Cambridge. Ingressou no Trinity College, Cambridge, em Junho de 1661, onde recebeu em 1665 o título de bacharel.

Por causa da peste em 1665 que assolava a Inglaterra a Universidade de Cambridge foi encerrada e o cientista regressou à sua aldeia natal em Woolsthorpe, ficando na casa da mãe durante aproximadamente dois anos.


Esse longo período de recolhimento forçado de Newton ( 1665-1667 ) fica conhecido como " os anos admiráveis ".
Faz nessa altura uma das suas observações mais famosa: viu uma maçã cair no chão. Esse fenómeno levou-o a pensar que haveria uma força puxando a fruta para a terra e que essa mesma força poderia, também, estar puxando a Lua, impedindo-a de escapar da sua órbita. Levando em consideração os estudos de Galileu e Kepler, como também os seus próprios estudos sobre o assunto, Newton formulou o seguinte princípio: " A velocidade da queda de um corpo é proporcional à força da gravidade e inversamente proporcional ao quadrado da distância até o centro da Terra ".


Foi durante esses " anos admiráveis ", em que teve de permanecer em casa, que realizou quatro de suas principais descobertas, que mudaram o rumo da ciência:

1. O teorema binomial - hoje conhecido como Binómio de Newton;
2. O cálculo - escreveu sobre séries infinitas a que chamou de teoria das fluxões (1665), conhecido hoje como Cálculo Diferencial e Integral;
3. A natureza das cores - descobriu a natureza da luz através de experiências engenhosamente concebidas com prismas;
4. A lei da gravitação - deduziu a expressão da aceleração centrípeta e com ela comparou a aceleração necessária para manter a Lua na sua órbita com a aceleração com que os objectos caem na superfície da Terra, a lei da gravitação.

As consequências destas descobertas, estender-se-ão por todo o campo científico; elas abriram a porta à ciência moderna. Ao firmar o princípio da gravitação universal, Newton eliminou a dependência da acção divina e influência profundamente o pensamento filosófico do século XVIII. É o fundador da mecânica clássica.

Quando regressou a Cambridge em 1667 Newton foi eleito Fellow do Trinity College e, em 1669, com vinte seis anos, sucedeu a Barrow como Professor of Mathematics por recomendação do próprio Barrow.

Em 1669, dedica-se especialmente à Óptica e formula a sua teoria das cores. Durante a sua reclusão em Lincolnshire, ele chegou à conclusão de que a luz branca não era uma entidade simples. Todos os cientistas, desde Aristóteles, acreditavam que a luz branca era uma única entidade básica, mas a aberração cromática observada num telescópio de lente convenceu Newton do oposto. Quando Newton fez passar um feixe fino da luz do sol num prisma, verificou que um espectro de cores era formado. Newton então propôs que a luz branca era uma mistura de vários tipos diferentes de cores que podem ser refractados em ângulos ligeiramente diferentes, e que cada tipo diferente de raio produz uma cor espectral diferente.


O fenómeno da refracção luminosa ocorria, de facto, sempre que a luz atravessava prismas ou lentes ( de modo menos pronunciado ), o que limitava a eficiência dos telescópios. Newton projectou então um telescópio reflector, no qual a concentração da luz, em vez de ser feita com uma lente, era obtida pela reflexão num espelho parabólico. Este modelo de telescópio foi apresentado à academia em 1671, sendo o seu princípio utilizado até hoje na maioria dos telescópios.


Em 1672, Newton é eleito para a Royal Society e apresenta um relatório sobre a teoria das cores, revelando as suas experiências sobre a decomposição da luz branca pelo prisma. Demonstra que as cores primitivas ou fundamentais o amarelo, azul e vermelho, possuem carácter especial e não são passíveis de decomposição, sendo este trabalho apresentado á Academia Real de Ciências e publica um opúsculo com o título " Nova teoria da luz e da cor ".

Em 1675 foi apresentado à Royal Society um trabalho de fundamental importância no campo da óptica que trata das propriedades da luz, bem como, uma explicação da produção das cores por lâminas delgadas. A memória contém ainda o resultado da medição dos anéis coloridos, que ficaram conhecidos como " Anéis de Newton ".


No ano de 1687, Newton publicou o Philosophiae Naturalis Principia Mathematica (Princípios Matemáticos da Filosofia Natural) ou, simplesmente, Principia, reconhecido como um dos mais importantes livros científicos já escritos. Nele, Newton apresenta as famosas três leis do movimento e utiliza-as para resolver todos os problemas importantes, na época, sobre o movimento na Terra e nos céus, estas leis ficaram conhecidas como as leis de Newton:

A primeira Lei de Newton é a lei da Inércia: Na ausência de forças externas, um objecto em repouso permanece em repouso, e um objecto em movimento permanece em movimento.

A segunda Lei de Newton ou princípio fundamental da dinâmica diz que, a força aplicada a um objecto é igual à massa do objecto vezes a aceleração.

A terceira Lei de Newton é a Lei da acção e reacção: Se um objecto exerce uma força sobre outro objecto, este outro exerce uma força de mesma intensidade, de mesma direcção e em sentido oposto.

Newton analisou o movimento dos corpos com e sem atrito sob a acção de forças centrípetas. Os resultados foram aplicados a corpos em órbita, projécteis, pêndulos e corpos em queda livre próximos da Terra. Demonstrou ainda que os planetas eram atraídos para o Sol com uma força que variava com o inverso do quadrado da distância e fez a generalização desta demonstração para todos os corpos celestes atraídos uns pelos outros.

O tema central dos Principia era a universalidade da força gravitacional. No livro, Newton estabelece a Lei da Gravitação Universal que diz que:

... toda a matéria atrai toda a restante matéria com uma força proporcional ao produto das duas massas consideradas e inversamente proporcional ao quadrado da distância entre elas.

e que pode escrever-se sob a forma da equação
em que m1 e m2 são as massas dos dois corpos que estão a exercer atracção gravitacional mútua e r é a distância entre os centros dos dois corpos.

Newton tinha um vasto conhecimento matemático e um poder de raciocínio que impressionava não só o seu ex-professor Isaac Barrow mas também toda a comunidade científica. Mas, ele colocava a matemática numa posição secundária, instrumental, a merecer-lhe a atenção na medida em que se revelasse fecunda para a solução de problemas levantados pela mecânica celeste.


Os trabalhos de Newton, na álgebra, beneficiaram a teoria das equações, com a criação de procedimentos para cálculo de raízes e formulação de regras para determinação do número de raízes de certa espécie. Referindo-se às raízes imaginárias que denominava " impossíveis ", sua visão instrumental da matemática, leva Newton a afirmar: " É de conveniência que a equações revelem raízes impossíveis, pois, se assim não fosse, nos problemas, certos casos impossíveis pareceriam possíveis ".


Newton foi membro do Parlamento no período de 1687 a 1690 durante este período embora prosseguisse estudando, não produziu nem publicou nenhuma obra importante.

No Outono de 1692 Newton adoece seriamente. A aversão à comida e as insónias persistentes que lhe tinham permitido escrever os Principia conduzem-no para perto do colapso total.

Newton recupera a saúde em finais de 1693 para regozijo dos seus amigos, incluindo aquele que mais tarde se tornaria o seu maior inimigo, Leibinz (1646-1716).

Com efeito, no ano da sua recuperação, Newton toma conhecimento que o cálculo se estava a tornar conhecido no Continente e que era atribuído a Leibniz. A principio, as relações entre Newton e Leibniz eram cordiais como mostra a correspondência entre estes dois grandes homens. Newton reconhecia os méritos de Leibniz e Leibniz os de Newton e em nenhum momento algum deles teria tido a mínima suspeita que algum tivesse roubado ao outro qualquer ideia do cálculo. Mais tarde, por volta de 1712, a questão de quem tinha inventado o cálculo torna-se uma questão de orgulho nacional. A Inglaterra vai cerrar hostes em torno de Newton e acusar Leibniz de ter roubado a ideia. Leibniz e os seus apoiantes vão responder do mesmo modo. Assim se inicia a célebre controvérsia Newton-Leibniz sobre a invenção do cálculo, controvérsia que vai desgostar Newton e que vai ter como grave consequência a estagnação das matemáticas na Inglaterra durante cerca de um século. Em França e na Suíça os seguidores de Leibniz, munidos de uma melhor notação para o cálculo, vão desenvolvê-lo e simplicá-lo.

Newton abandonou a pesquisa e em 1696 ocupou uma posição no governo em Londres, tornando-se Guardião da Casa da Moeda Real e Mestre em 1699.

Em 1703, foi eleito presidente da Royal Society, cargo para o qual foi reeleito anualmente, enquanto viveu. Também foi de grande importância para a ciência a obra publicada em 1704 sobre o título " Opticks, or A Treatise on the reflections, refractions and colours of light " ( Óptica, ou Um Tratado sobre a reflexão, refração e cores da luz ).


Foi agraciado com o título de cavalheiro (Sir) em 1708 pela Rainha Anne, o primeiro cientista a receber esta honra.


Em 1719, Newton foi eleito como o terceiro Grão Mestre da Grande Loja de Londres. Newton é tão conhecido dentro da Maçonaria inglesa que uma das mais tradicionais Lojas Maçônicas de Cambridge carrega seu nome, a “Isaac Newton University Lodge, n. 859“.

Nos últimos anos, ocupou-se exclusivamente de complexos estudos teológicos.


Isaac Newton nunca se casou, viveu praticamente toda a sua vida dedicando-se à pesquisa. Newton foi um dos mais influentes cientistas na história da ciência, cujos estudos e obras contribuiram significativamente para a área da matemática e da física, tendo escrito também sobre química, alquimia, cronologia e teologia. Acreditava que ainda havia muito por descobrir.

"A natureza era para ele um livro aberto, cujas letras ele podia ler sem esforço." Albert Einstein, sobre Newton.

Faleceu em Março de 1727 em Kensington, Middlesex e foi sepultado na abadia de Westminster, onde lhe foi erguido o maior dos monumentos ali existentes.


Sobre o seu túmulo foi inscrito em latim o seguinte epitáfio: "Que os mortais se regozijem por ter existido tamanho ornamento da raça humana".

montagem de fotos


Frases de Isaac Newton:

- "Se vi mais longe foi por estar de pé sobre ombros de gigantes."
- "O que sabemos é uma gota, o que ignoramos é um oceano."
- "Eu consigo calcular o movimento dos corpos celestiais, mas não a loucura das pessoas."
- "Nenhuma grande descoberta foi feita jamais sem um palpite ousado."



Esta postagem no blog de Maria, eu pedi permissão para trazer para este blog, e com muita gentileza ele nos doou seu trabalho intelectual. Com o coração agradecido publicamos. Visite o blog dela, clicando abaixo.

Divagar sobre tudo um pouco

http://algarve-saibamais.blogspot.com/2010/03/isaac-newton-um-cientista-brilhante.html#comment-form

AFINAL, O QUE VAI ACONTECER COM A TERRA?

Postado por Norma Villares

São muitas informações veiculadas na internet. A chegada de planeta vermelho, o planeta gigantesco chamado "ercóbulus" vai colidir com o planeta terra ou planetas errantes em rota de colisão com a terra, chegada de ETs, tempestades solares, e inúmeras profecias inventadas. Gente, são muitas teorias que não dá para colocar aqui neste blog, cada dia aparece uma nova informação. Mas, o que há de verdade na teoria de FIM DE MUNDO pregada pelo calendário Maia, ou no chamado "apocalipse Maia". Segue um pouquinho do que coletei na Revista Galileu.

Afinal, o que vai acontecer com a Terra em 2012?

"Pablo Nogueira"

MITOS E CICLOS SOLARES

Aparente hiperatividade do astro alimenta especulações sobre bombardeio radioativo. Mas a estrela está se comportando conforme o previsto

Muitos dos cenários para 2012 baseiam-se na idéia de que o Sol estaria passando por um período de atividade sem precedentes. Os defensores dessa tese ressaltam o fato de que, entre 28 de outubro e 4 de novembro de 2003, ocorreram algumas das maiores explosões solares já registradas. Em 20 de janeiro de 2005, a Terra registrou o maior bombardeio de partículas de alta energia oriundas do Sol. Como 2005 foi o ano do furacão Katrina, há quem vincule os fenômenos, sugerindo que o clima é governado por variações na atividade solar. Como a previsão dos astrofísicos é de que 2012 registre um ponto de alta atividade em nossa estrela, há quem acredite que a soma de tudo isso seja uma catástrofe.

As variações na atividade solar são causadas por mudanças na configuração do campo magnético que ocorrem a cada 11 anos. Para Adriana Silva Valio, pesquisadora do Centro de Radioastronomia e Astrofísica Mackenzie, basta dar uma olhada nos dados dos últimos oito anos para ver que o Sol tem se comportado normalmente. De lá para cá, a atividade reduziu-se, e a tendência é que, nos próximos anos, volte a se intensificar, alcançando patamares elevados em 2012. Tudo isso está dentro do esperado.

O decréscimo da atividade aconteceu mesmo com as superexplosões de 2003. "O fato é que a tecnologia para acompanharmos o fenômeno é muito recente. Talvez eventos semelhantes tenham acontecido no passado", afirma Adriana. Ela também diz que o ciclo solar de 11 anos, por si só, não parece ser capaz de afetar significativamente o clima da Terra. "No ponto de maior atividade, a quantidade de energia solar recebida pela Terra cresce apenas 0,1%."

Porém, ela diz que fatores desconhecidos e ligados ao Sol parecem sim afetar o clima na Terra. "No século 18, o Sol não apresentou manchas por sete décadas. O mundo ficou mais frio, e os canais de Veneza congelaram. Mas parece que para que mudanças assim ocorram levam décadas ou mesmo séculos", diz.

USINA DE ENERGIA
Diferença de velocidade na rotação do astro faz com que a atividade solar varie em ciclos de 11 anos


Esta pequena reportagem mostra um pouco das modificações do planeta, e este gráfico demonstra que as modificações podem ocorrer em anos ou séculos, mas na internet todas e quaisquer informações ganham dimensões proféticas inconsensuráveis. Bem, eu vou trazer informações para este blog, sempre que for publicado alguma coisa.


Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG84272-7943-206,00-AFINAL+O+QUE+VAI+ACONTECER+COM+A+TERRA+EM.html

A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS

Postado por Norma Villares


O que se para um amigo
Amigo é um ser muito especial na vida de cada um de nós. Quem tem um amigo, guarda a certeza de que jamais enfrentará tempestades a sós

Sempre poderá contar com um ombro acolhedor, uma mão que se estende, alguém que chora e se alegra com as suas dores e as suas alegrias. E quando se deseja presentear um amigo, o que se deve dar?

Por vezes, ficamos preocupados, porque desejamos ofertar o melhor ao amigo e nos faltam recursos amoedados. Essa indagação nos recorda de uma história que aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial, em terras alemãs. O tempo era de escassez, de medo e perseguições. A família era alemã, em solo alemão, ocultando, na intimidade da sua casa, um judeu.

Pior que tudo: um judeu enfermo. E Max era isso: um judeu muito doente. A menina da casa lhe cedeu a cama. Ela já fora conquistada por aquele homem solitário e tão perseguido. Somente por ser judeu. Fora conquistada pela sua forma de parecer invisível, de não desejar incomodar, de quase se sentir culpado por existir.Quantas horas haviam passado juntos! Mas agora ele estava ali, imóvel, sobre o leito e o prognóstico não era dos melhores.

Não se podia chamar um médico para medicá-lo. Isso significaria prisão para todos. Não havia nada que se pudesse fazer. A não ser amá-lo. A menina pensou que se lhe desse motivos para viver, Max retornaria à vida, sairia daquele torpor em que a febre, a tristeza ou o que fosse o mergulhara.

Assim, todas as tardes, ela passou a ler, em voz alta para ele. Era um livro de quase 400 páginas. Ela lia, falava com Max e o convidava a acordar, dia após dia. Depois ela pensou em lhe levar presentes.

Primeiro, foi uma bola furada que encontrou na rua. Ela queria que ele tivesse motivos para viver.

Achou uma fita na sarjeta, um botão encostado numa parede da sala de aulas, uma pedrinha chata e redonda do rio.

Todos os dias, voltando da escola, ela procurava algo que pudesse levar para ele.

Um invólucro de bala liso e desbotado. Uma pena linda, encontrada presa na dobradiça de uma porta.

Finalmente, ela quis lhe dar uma nuvem.

Como se pode dar uma nuvem a alguém?

Então a descreveu para Max.

Era uma nuvem gigantesca. Como uma grande fera branca e veio por cima das montanhas.

Imaginou a nuvem passando de sua mão para ele, através dos cobertores. E a escreveu num pedaço de papel, colocando a pedrinha em cima.

Tudo era deixado na mesa de cabeceira. Os tesouros de uma menina para um judeu que tinha perdido a vontade de viver.

Finalmente, um dia, ele abriu os olhos.

Quando ela o viu, ele estava sentado na cama, com a bola murcha de futebol no colo.

Max sorria, acariciando cada um dos preciosos presentes na mesa de cabeceira.

Adorei a nuvem! - disse ele.

E não voltou a adoecer.


Redação do Momento Espírita, com base no cap.

Treze presentes, do livro A menina que roubava
livros, de Markus Zusak, ed. Intrínseca.
Em 23.03.2010

Esse livro é para ser lido e relido, pois tem histórias belíssimas. Fiquei encantada. Grande Abraço.
Paz Profunda!


Fonte da imagem: http://images.google.com.br/imgres?imgurl

OS ANJO EXISTEM!

Postado por Norma Villares



OS ANJOS




As imagens de uma câmera de segurança mostram uma mulher na plataforma. Ela está com um carrinho de bebê, conversando com outras pessoas.

A mãe, distraída, muda o carrinho de posição. E só percebe muito tarde quando ele deslizou para os trilhos. Desesperada, correu para tentar salvar o filho, mas o trem chega antes.

Foram momentos de angústia e apreensão. O vídeo não mostra, mas a criança de apenas seis meses sobreviveu. Como o trem estava reduzindo a velocidade para parar, o carrinho foi atingido e arrastado por 30 metros. O bebê terminou com um galo na cabeça. A mãe ficou abalada emocionalmente.

Agora me diz se não existem anjos? Com certeza um protegeu esse bebê!




Oração ao Anjo da Guarda


Santo Anjo do Senhor,
meu zeloso guardador,
já que a ti me confiou a piedade Divina,
sempre me rege, me guarda,
me governa e ilumina.
Amém.


MAHASAMADHI DE SRI AUROBINDO

Postado por Norma Villares

Sri Aurobindo(1908-1950) um idealista indiano, estudou na Inglaterra e ao voltar para Índia tornou-se um aguerrido lutador dos ideais do "movimento libertador da Índia", foi preso e lá passou por diversas experiênciais espirituais. Respondendo a um chamado interior, retirou-se do campo político e foi para o Sul da Índia, para devotar-se totalmente à sua missão espiritual. Morreu em 1950, aos 78 anos, deixando o trabalho espiritual conhecido como "O Ioga de Sri Aurobindo". No estado de Tamil Nadu, sul da Índia, existe uma comunidade espiritual denominada Auroville, a "Cidade do Amanhecer", fundada em sua homenagem e com base nos seus princípios.

Uma mensagem de Darshan cartões eram distribuídos no Sri Aurobindo Ashram, todos os dias. Fica aqui um pouco do perfume desses cartões escritos por esse ser transcendente que veio ao planeta purificar almas:

É dentro de nós que a Realidade deve ser encontrada e a fonte e fundação de uma vida aperfeiçoada; nenhuma formação exterior pode substituí-la: deve haver o verdadeiro si dentro se é para haver a verdadeira vida realizada no mundo e na Natureza.

Este movimento de ir para dentro e viver dentro é uma tarefa difícil a colocar sobre a consciência normal do ser humano; no entanto não há nenhum outro caminho de autodescoberta.


Nosso espírito cansa das superfícies do ser, transcendido é o esplendor da forma; ele se volta para poderes encobertos e estados mais fundos.


Quando damos um passo na direção de Deus, Deus já deu vários na nossa direção. (Sri Aurobindo).

EIS OS CARTÕES DASRHAM



Em 5 de dezembro de 1950, Sri Aurobindo despede de seus díscupulos e deixou seu corpo num -Mahasamadhi- deixando lindas palavras para resignar os corações saudosos de todos que residiam em Aurovile.

“Senhor, esta manhã tu me deste a certeza de que ficaria conosco até que teu trabalho seja realizado, não só como uma consciência que guia e ilumina, mas também como uma dinâmica Presença em ação.” (A Mãe).

**Mahasamadhi, segundo o Hinduísmo, é uma saída consciente do corpo, por um mestre divinamente iluminado, no momento da morte física.

Alguns dos livros de Sri Aurobindo foram publicados em português:


Fonte:
http://www.sriaurobindoashram.org/darshan/index.php
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sri_Aurobindo

EM BUSCA DA TERAPIA ESPIRITUAL

Postado por Norma Villares

Núcleo Espirita Nosso Lar
Centro de apoio ao paciente com cancer.
São José e Florianópolis - SC

Nucleo Espirita Nosso Lar e Centro de Apoio ao Paciente com Cancer em Sao Jose e Florianopolis SC é um espaço que labora com cura espiritual, fazendo um trabalho sério e corajoso. Neste local confrades e confreires se reúnem num desvelo da plenitude do amor e despreendimento sem igual, como pode ser visto nestes vídeos postados abaixo.




Sao as doenças mentais de uma maneira geral que sao tratadas nestes hospitais.




É um trabalho grandioso, e eu parabenizo aos Irmãos de Doutrina, que atuam neste seguimento de Cura ao proximo mais proximo, sem perguntar a origem da religião, pois Jesus não tinha religiaõ especifica e DEUS é unico e Pai de todos ops seres humanos. A estes seres de compaixão que trabalham nesta seara de movimentar o amor, rogo ao Grande Pai que abençoe todos vocês, dando-lhes força e perseverança.





Nascer - Viver - Morrer e Renascer ... é ciclo da vidas em varias vidas.

Este trabalho labora num campo da medicina vibracional, atuando em vários aspectos do corpo físico, psicológico, mental e espiritual. Por isso, há profunda necessidade de compreender mais a respeito de si mesmo, da sua própria anatomia, do seu pensamento, da força interior. Bem como, o significado e a repercursão de um bom pensamento atuando no campo físico, lembrando que um pensamento equilibrado gera um campo equlibrado. O que significam pensamentos negativos leva ao desequilíbrio do nosso sistema imunológico, gerando as doenças.
Bem, deixo postados estes maravilhosos vídeos para que cada um sinta este belo trabalho de amor e da prática efetiva da caridade.

Paz Profunda!

AMOR ESPIRITUAL

Postado por Norma Villares


“O amor espiritual precisa ser diferenciado do amor ou do apego relacionado ao corpo, à mente ou ao intelecto. Este último está relacionado ao mundo e é fonte de sofrimento. O verdadeiro amor é puro, abnegado, livre de ego e pleno de bem-aventurança.
Apegos mundanos não são de modo algum amor verdadeiro.
Eles são passageiros, enquanto o amor eterno, puro, surge do coração.
Como uma pessoa pode ser incapaz de reconhecer esse amor todo-penetrante?
Isso acontece porque o coração humano se tornou estéril e poluído.
O coração está cheio de todos os tipos de desejos e não há espaço nele para o amor puro e imaculado entrar.
Somente quando os apegos mundanos forem expulsos do coração, haverá espaço para o amor verdadeiro permanecer e crescer.”

Sathya Sai Baba

Paz Profunda!.

DESAFIO ZEN

Postado por Norma Villares

Os mestres Zen estimulam seus discípulos a superar uns aos outros em debates que desafiam a inteligência. Um discípulo faz perguntas até conseguir que o outro responda alguma tolice. Cada um tem muito cuidado ao responder até às perguntas mais simples, pois ninguém quer cair na armadilha de suas próprias palavras.
Havia dois templos Zen que ficavam muito próximos um do outro. Todas as manhãs, cada um deles enviava um discípulo à feira para comprar legumes. E os dois meninos sempre se encontravam no caminho.
- Aonde você vai? – certo dia um deles perguntou ao outro.
- Vou aonde meus pés estão me levando – respondeu o segundo.
Essa resposta deixou o primeiro menino perplexo. Não conseguia pensar em outra pergunta que pudesse confundir o segundo menino. Ao voltar da feira, ele contou ao mestre o que havia acontecido.
- Amanhã – disse o mestre: - faça-lhe a mesma pergunta. Ele dará a mesma resposta, então você poderá confundi-lo dizendo: “Supondo que você não tivesse pés, aonde iria?”
Na manhã seguinte, o primeiro menino perguntou:
- Aonde você vai?
O segundo respondeu:
- Aonde o vento está soprando.
O primeiro menino atrapalhou-se de novo. Não soube o que dizer. Chegando em sua casa, falou com o mestre sobre essa segunda derrota.
- Amanhã, pergunte a ele aonde estaria indo se não houvesse vento – disse o mestre.
No dia seguinte, os meninos se encontraram mais uma vez.
- Aonde você vai? – perguntou o primeiro.
- Vou à feira comprar legumes – respondeu o segundo.
Fonte:
Chodzin Sherab, Kojn Alexandra. Contos Budistas: Tradutora Marie Cameron. Editora Martins Fontes, São Paulo, 2003.


Hoje cedo fui a vários blogs e não pude comentar, pois o blogger está retendo meus comentários e, somente naqueles que tema seguinte configuração eu comentei, vou ensinar os passos:
1. - Configuração
2.- Comentário
3.- Posição de formulário de comentários (a opção deve ser a primeira e a segunda) Página inteira ou Janela Pop-up.



4. - Por último SALVAR.
Bem, eu não sei o que aconteceu com o blogger mas o conselho que recebi foi mudar a opção de comentários, mudei e estou comentando. Mas, só comento em blogs com essas opções. Sei que é chato tudo isso, mas eu gosto das pessoas que vem aqui comentar, já fazem parte do meu "dia a dia". O blogger disse que é temporário. Se vocês puderem me ajudar colocando essas opções na configuração de seus comentários, agradeceria.
Paz e Bem!

QUANDO A DOR FOI NECESSÁRIA

Postado por Norma Villares


Um pequeno poema de Bertolt Brecht diz:

A minha mãe.

Quando ela acabou, foi colocada na terra

Flores nascem, borboletas voejam por cima...

Ela, leve, não fez pressão sobre a terra

Quanta dor foi preciso para que ficasse tão leve!


A dor nos faz mais leves, quando extraímos dela o sumo da sabedoria. De nada adianta sofrer e continuar o mesmo, com a mesma maneira de pensar, com os mesmos vícios...

A dor sempre ensina. A dor sempre esculpe. Cabe ao aluno deixar-se ser formado ou moldado por ela. A dor vai retirando, a golpes de cinzel, o que, no bloco de mármore da vida, não é beleza, não é escultura.

Num primeiro momento, e numa visão acanhada, os golpes são cruéis, ferem, sangram. Mais tarde, porém, apenas mais tarde, pode-se ver o bloco, antigamente disforme, agora tomando formas definidas e certas.

Assim é o sofrimento. Quase sempre é compreendido apenas com o passar do tempo e quando a visão madura de nós mesmos sobrepõe o imediatismo persistente na alma.

Saímos mais leves da vida, certamente, quando aprendemos com o sofrer; quando não repetimos mais os mesmos erros e eles não mais nos escravizam.

Saímos mais leves daqui, quando arrancamos de nós os pesados vícios – essas cargas perversas que insistimos em carregar pelos dias.

Saímos mais leves, sim, ao entender que somos os maiores prejudicados quando guardamos mágoa, quando permitimos que um sentimento negativo fique ressentindo em nosso peito por tanto tempo.

Saímos aliviados da existência, quando a doença nos consumiu a vida do corpo, mas renovou a vitalidade da alma, que agora nasce de novo, deixando na enfermidade transata os débitos com a Lei maior.

É certo que a dor é educadora enérgica e implacável, mas é professora indispensável de nossas existências inseguras e irresponsáveis.

É de entendimento geral que, quanto mais responsável e maduro o educando, mais flexível e ameno pode ser o educador.

Vivemos ainda a época dos educandos rebeldes, aparentemente incorrigíveis, por isso a mestra dor precisa atuar com tanta veemência e rigidez.

O pântano e as águas estagnadas experimentam rigorosa drenagem, a fim de se transformarem em jardim e pomar.

O deserto sente a modificação da sua estrutura, mediante elementos químicos, de modo a reverdecer e coroar-se de flores.

A semente sofre o esmagamento e arrebenta-se em vida exuberante.

Nos animais, o parto é violência orgânica dolorosa, que liberta a vida que conduzia encarcerada.

Compreensível, desse modo, que o desabrochar da perfeição comece pelo despedaçar do grotesco em predominância no ser humano.

Erros que geraram calamitosos efeitos a reparar, desafios que promovem à conquista de mais elevados patamares se apresentam com freqüência.

São inevitáveis as ocorrências depuradoras, os sofrimentos de sublimação.

A dor é mensagem da vida cantando o hino de exaltação e glória à evolução. Recebê-la com tranqüilidade constitui admirável realização íntima da lucidez intelecto-moral do ser humano.

Redação do Momento Espírita com citação do capítulo, “A dor e suas bênçãos, do livro Fonte de luz, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, Ed. Leal.

OS DOIS IRMÃOS

Postado por Norma Villares


Era uma vez dois irmãos que cultivavam a terra juntos e sempre compartilhavam as colheitas.

Um dia, um dos irmãos despertou durante a noite e pensou: "Meu irmão é casado e tem filhos. Por isso, tem necessidade e despesas que eu não tenho. Então, colocarei algumas de minhas sacas em sua despensa, o que é mais do que justo. Farei isso na calada da noite para não acontecer que, por sua generosidade, não queira aceitá-las. Levou as sacas e voltou para a cama.
Pouco depois, o outro irmão despertou e disse: "Não é justo que eu tenha a metade de todo o milho de nossa terra. Meu irmão, que é solteiro, não tem o prazer de possuir uma família e, portanto, tentarei compensá-lo passando um pouco do meu milho para sua despensa".E assim fez. Na manhã seguinte, ambos ficaram surpresos ao ver que havia o mesmo número de sacas em sua despensa e não puderam compreender como, ano após ano, o número de sacas continuava sendo o mesmo, ainda que as transferissem às escondidas.

VOTO DE SILÊNCIO

Postado por Norma Villares

Quatro amigos estavam estudando meditação. Para iluminar suas mentes, resolveram fazer voto de silêncio e ficar sete dias sem falar. No primeiro dia, meditaram sem falar uma palavra. Mas, quando caiu a noite e a luz das lâmpadas a óleo do salão de meditação foi se enfraquecendo, um dos amigos sussurrou para um criado:
- Cuide das lâmpadas.
Um outro, chocado ao ouvir o amigo, disse:
- Você não deveria falar!
O terceiro se irritou:
- Seus idiotas! – ele disse – Por que estão falando?
- Fui o único que não falou – disse o quarto amigo, sorrindo orgulhoso.

Fonte:
Chodzin Sherab, Kojn Alexandra. Contos Budistas: Tradutora Marie Cameron. Editora Martins Fontes, São Paulo, 2003.

PS: Estou impossibilitada de comentar em seus blogs, por problemas do blogger. Espero que eles resolvam logo.
Paz Profunda
Abraços

A OBSESSÃO ESPIRITUAL

Postado por Norma Villares



A Obsessão Espiritual como doença da Alma, já é reconhecida pela Medicina

Em artigos anteriores, escrevi que a Obsessão espiritual, na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios da Medicina, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do ser e, com isso, não levava em consideração a existência da alma, do espírito.
No entanto, quero retificar, atualizar os leitores de meus artigos essa informação, pois desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social.

Antes, a OMS definia saúde como o estado de completo bem-estar biológico, psicológico e social do ser humano e desconsiderava o bem estar espiritual, isto é, o sofrimento da alma; tinha, portanto, uma visão reducionista, organicista da natureza humana, não a vendo em sua totalidade: mente corpo e espírito.

Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: biológico, psicológico e espiritual. Desta forma, a Obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado de transe, que é um item do CID -O Código Internacional de Doenças- que permite o diagnóstico da interferência espiritual obsessora.

O CID 10, item F.44.3 - define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio-ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença. Os casos, por exemplo, em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença. Neste aspecto, a alucinação é um sintoma que pode surgir tanto nos transtornos mentais psiquiátricos -nesse caso, seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura- bem como na interferência de um ser desencarnado das trevas, a Obsessão espiritual.

Portanto, a Psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios. O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria - DSM IV - alerta que o médico deve tomar cuidado para não diagnosticar de forma equivocada como alucinação ou psicose, casos de pessoas de determinadas comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas, porque isso pode não significar uma alucinação ou loucura.
Na Faculdade de Medicina da USP, o Dr.Sérgio Felipe de Oliveira, médico, coordena a cadeira (hoje obrigatória) de Medicina e Espiritualidade.
Na Psicologia, Carl Gustav Jung, discípulo de Freud, estudou o caso de uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas.
Na prática, embora o Código Internacional de Doenças (CID) seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas. Em minha prática clínica, a grande maioria de meus pacientes, que são rotulados pelos psiquiatras de "psicóticos" por ouvirem vozes (clariaudiência) ou verem espíritos (clarividência), na verdade, são médiuns com desequilíbrio mediúnico e não com um desequilíbrio mental, psiquiátrico.
Muitos desses pacientes poderiam se curar a partir do momento que tivermos uma Medicina que leva em consideração o ser integral.
Portanto, a obsessão espiritual como uma enfermidade da alma, merece ser estudada de forma séria e aprofundada para que possamos melhorar a qualidade de vida do enfermo.

Por conta disso, escrevi um artigo em meu site, cujo título é "Terapia Médica e Terapia Espiritual: Por que dividir se podemos somar" , a importância de agregarmos as duas abordagens terapêuticas.
Neste aspecto, a Terapia Regressiva Evolutiva (TRE) - A Terapia do Mentor Espiritual - Abordagem psicológica e espiritual breve, canalizada por mim através dos Espíritos Superiores do Astral, foi criada; não para substituir a medicina, mas, sim, complementá-la. Melhor explicando: a medicina cuida do organismo físico e a TRE da alma, do espírito. Essa é a minha esperança, que as duas possam um dia caminhar lado a lado, formando uma parceria e quem sai ganhando é a população.

Caso Clínico:
Por que nunca namorei, não consigo me firmar, ter um relacionamento duradouro?
Mulher de 31 anos, solteira.

Veio ao meu consultório querendo entender o por quê de nunca ter namorado, ter tido um relacionamento duradouro.
Apesar de ser uma mulher bonita, não despertava interesse nos homens. E, quando despertava esporadicamente, só apareciam homens casados e estrangeiros, mas logo se desinteressavam e sumiam de sua vida.
Sentia também muita tristeza e não conseguia dormir no escuro.
Na academia de ginástica, com freqüência, via uma sombra, uma forte impressão de ter alguém atrás dela.

Na 1ª sessão de regressão, ao pedir à paciente atravessar o portão (é um recurso técnico utilizado nessa terapia, que funciona como um portal da espiritualidade, e que separa o passado do presente, o mundo espiritual do mundo terreno), ela me relatou:

"Vejo uma névoa esbranquiçada, cerrada (ao atravessar o portal, é freqüente os pacientes regredirem trazendo lembranças de uma vida passada em forma de cenas, imagens, névoas esbranquiçadas, acinzentadas ou escuras - que correspondem, respectivamente, às regiões intermediárias do astral superior e inferior).
Estou pairando, flutuando... Vejo um homem nitidamente, usa uma túnica branca, que lembra a figura de Jesus Cristo. Ele também usa barba e cabelos compridos. Na verdade, eu o vi antes de atravessar o portal. Vi também uma imagem feia, assustadora -era o rosto de um homem-, depois sumiu (nessa terapia, o obsessor espiritual dos pacientes, costuma se manifestar mostrando o rosto ou partes dele; um olho ou um par de olhos)".

- Pergunte ao homem de túnica branca quem é ele, peça para se identificar - sugiro à paciente.
"Ele diz que é o meu mentor espiritual (ser desencarnado diretamente responsável pela nossa evolução espiritual, também chamado de anjo da guarda pela Igreja Católica, e guia espiritual pelo Candomblé e Umbanda).
O meu mentor espiritual estava me dizendo que ia me levar a um lugar e aí apareceu outra imagem, um olho de um rosto feio... mas desapareceu. Agora ele fala que vai me levar onde preciso ir (pausa).
Vejo uma estrada escura... Ele me diz: 'É isso que você precisa saber'.
Na estrada deveriam estar passando carros, mas está vazia e é noite.
Parece ser uma rodovia... agora ele me chamou para ir com ele novamente, diz que vai me mostrar outra coisa (pausa).
Parece um acidente... e tem uma mulher. Ela usa um lenço na cabeça, mas não está nessa rodovia. Eu a vejo em outro lugar. Ela chora de desespero... parece que perdeu alguém, acho que foi nesse acidente.
Eu vejo também um carro prata todo destruído, contorcido. Ela perdeu alguém nesse acidente".

- Busque saber quem ela perdeu - peço à paciente.
"É o filho dela... e continuo vendo a rodovia".

Na segunda sessão de regressão, antes de iniciarmos, a paciente comentou que a cena daquela rodovia não saiu de sua cabeça, ainda via nitidamente aquelas imagens. Comentou também que quando dirige tem a tendência de correr bastante. As pessoas sempre falaram que ela corria muito, mas ela nunca admitiu. No entanto, ao sair da primeira sessão de regressão, quando estava dirigindo, percebeu pela primeira vez que realmente corria bastante.

Ao regredir a paciente relatou:
"Vejo novamente aquela névoa esbranquiçada. Estou no meio dela... vejo o meu mentor espiritual. Ele sorri e me diz: 'Vamos, você precisa se curar! Aquele acidente foi você que provocou em vida passada'.

- Pergunte ao seu mentor por que você provocou esse acidente? - Peço à paciente.
"Vejo dois carros naquela rodovia correndo em sentido oposto, com os faróis altos.
Eu corria demais, era noite naquela rodovia (pausa). Agora eu e o meu mentor espiritual estamos num caminho, tem mato dos dois lados. Está amanhecendo... a gente caminha olhando para o chão de terra (pausa).
Apareceu a imagem de uma morena, cabelos compridos. Vejo-a de mãos dadas com uma pessoa... é um rapaz, aparece cabisbaixo para mim. Eu não o conheço (na verdade, a paciente não o reconhece por conta do 'véu do esquecimento' do passado que a impede de lembrar a experiência dessa existência passada).
Ele veste uma camiseta preta, calça jeans, tem cabelo liso, tem entre 20 e 25 anos. Esse rapaz está deitado nesse chão de terra, com os olhos fechados.
Estou em pé, próximo da cabeça dele.
Ele está deitado e não se mexe, nesse lugar de mato onde o meu mentor espiritual me levou. Eu vejo o corpo dele em preto e branco e a imagem do local é colorida. (pausa).
Agora vejo-o de bruços; sinto (paciente intui) que ele está ferido, mas não vejo sangue".

- Descubra quem é esse rapaz - peço à paciente.
"O meu mentor me responde: 'Ele era noivo, tinha planos e você os interrompeu. Aquela senhora de lenço na cabeça que você viu na primeira sessão de regressão era a mãe dele.
Portanto, foi esse rapaz que morreu no acidente, na colisão de carros. A moça que você viu de mãos dadas com ele era a sua noiva, eles iam se casar (pausa)'.
Dr. Osvaldo, eu ouço o rapaz me dizendo que preciso pagar por isso. O meu mentor diz que preciso me arrepender pelo que fiz, e que a minha cura depende disso. Esclarece que esse rapaz, meu obsessor espiritual, me acompanha onde quer que eu vá. É ele que está provocando o meu insucesso amoroso, porque não se conforma por ter tirado a vida dele no acidente de carro dessa vida passada. Ele está caído no chão, mas vejo o rosto dele olhando para mim com ira.
O meu mentor espiritual me diz que nesse acidente saí ilesa, não me aconteceu nada. Diz também que esse rapaz estava sem cinto de segurança e, com isso, foi arremessado para fora de seu carro e caiu nesse mato, que fica à margem da rodovia. Ele ia ser médico e era filho único. A mãe dele ainda hoje cultua (reza) a sua imagem".

- Pergunte ao seu mentor espiritual em que época ocorreu esse acidente - peço à paciente.
"Ele diz que foi duas vidas antes da atual. Fala que antes de ocorrer o acidente, estava dirigindo o meu carro em alta velocidade, mexendo no rádio e, com isso, acabei me distraindo".

- Você era homem ou mulher nessa vida passada? - Pergunte ao seu mentor espiritual.

"Ele diz que era homem, e que eu estava embriagado, por isso estava correndo demais. Portanto, as causas do acidente foram a velocidade em excesso, a distração e a embriaguez (pausa).
O rapaz está me dizendo que me quer para ele porque se sente sozinho, pois perdeu o amor dele".

- Pergunte se o seu mentor espiritual tem mais alguma coisa a lhe dizer - peço à paciente.
"Ele diz novamente: 'Você precisa se arrepender, esse rapaz quer que você fique sozinha, igual a ele'.
Ele esperou a sua encarnação atual para fazer isso, e a mãe dele alimenta o seu espírito".

- Como ela faz isso? - Peço à paciente para perguntar ao seu mentor.
"Mantendo a sua ira, a vontade de se vingar de mim... vejo-a num quartinho rezando. O meu mentor diz que na vida anterior à atual, eu ainda reencarnei como homem. Então, esse rapaz esperou que eu viesse como mulher na vida atual porque como não podia ter a sua noiva de volta, me quis para substituí-la.
Portanto, ele sabia que na encarnação atual eu iria sofrer tanto quando ele se ficasse sozinha, sem nenhum namorado".
Ao final desta sessão pedi para que ela fizesse a oração do perdão para esse rapaz.

Na sessão seguinte (terceira e última), a paciente comentou que em dois momentos, quando estava fazendo a oração do perdão, levantou as mãos -em imposição- irradiando a luz dourada de Cristo para esse rapaz, mas sentiu suas mãos tremerem e os braços pesados, como se alguém estivesse impedindo a irradiação.
Num outro momento, sentiu que não era ela que estava lendo a oração. Esclareci dizendo à paciente que é comum ao ler a oração do perdão, o obsessor espiritual participar da oração.

Na última sessão, ao regredir, a paciente me relatou:
"Vejo novamente aquele névoa branca, visto uma túnica dourada, estou descalça, com a mesma aparência física da vida atual (pausa).
Vejo agora um jardim vasto, bem verde, com gramados, não têm árvores, é dia, tem sol. Eu me sinto bem, é um lugar bonito (pausa).
Vejo um homem, mas ele está bem longe, não consigo me aproximar dele".

- Veja quem é esse homem - pergunto à paciente.
"O meu mentor espiritual me diz que esse rapaz é um presente, que ele está destinado a mim (é comum também nessa terapia, além da regressão de memória, o mentor fazer uma progressão, ou seja, uma revelação futura, caso ache necessário). Mas afirma que só depende de mim me aproximar desse rapaz.
Ele me esclarece que não estou conseguindo me aproximar desse rapaz porque tenho que fazer a minha parte, que é guiar o meu obsessor espiritual à luz. Diz também que o obsessor espiritual está se sentindo mais calmo, mas que preciso continuar com a oração do perdão.
Reforça me dizendo: 'Você precisa se arrepender'.
Eu lhe pergunto de que forma posso me arrepender... como se dá isso?
Ele fala que o arrependimento vem da alma, e que vou sentir isso. Quando me arrepender do fundo de minha alma, de meu coração, tudo vai mudar em minha vida e que só assim, definitivamente, vou me libertar de meu obsessor".

- Pergunte ao seu mentor de onde vem à sua tristeza - peço à paciente.
"Ele diz que essa tristeza em grande parte vem do obsessor, mas vem de mim também".

- Pergunte-lhe por que você dúvida; se tudo isso não é imaginação sua, uma fantasia... (paciente me perguntou no final da sessão anterior se tudo o que trouxe até agora, como conteúdo da regressão, não era uma fantasia, produto de sua imaginação).
"Ele diz que no fundo sei que tudo isso não é uma fantasia, e que não é de hoje que ele conversa comigo (pausa).
Concordo com ele, realmente escuto uma voz dentro da minha cabeça que fala comigo. Eu achava que era algo do meu pensamento".

- Pergunte ao seu mentor espiritual como você pode diferenciar o que é pensamento seu de um pensamento que vem dele - pedi à paciente.
"Ele responde que é através dos sentimentos; portanto, diz que eu sinto quando é ele. Esclarece que quando é o meu pensamento, não tem um diálogo. E quando é ele, há um diálogo muito claro, inconfundível".

- Por que então você questionou na terapia se foi uma fantasia, uma imaginação esse diálogo com ele? - Pergunto à paciente.
"Ele diz que é porque ainda não tinha despertado a minha consciência. Mas afirma que agora eu despertei".

- Pergunte ao seu mentor se devemos ou não continuar com o tratamento - peço à paciente.
"Ele diz que não precisa, foi o suficiente, pois o que tinha que saber nessa terapia eu soube. Agora sei de onde vem o meu problema. Ele está se despedindo, indo embora".
(Osvaldo Shimoda)


Fonte:
http://www.terapiaregressivaevolutiva.com/page_39.html

OS DOZE SINAIS DO SEU DESPERTAR DIVINO

Postado por Norma Villares


Os Sintomas de Shaumbra, que significa Família e Amizade Interior Profunda, vem sendo apresentados por Geoffrey Hoppe que discorre sobre 12 sintomas para o Despertar Divino, os quais faz uma análise bem criteriosa acerca dos mesmos, vejamos abaixo:

1. Dores no corpo e sofrimentos, especialmente no pescoço, ombros e costas. Isto é o resultado de intensas mudanças no seu nível de DNA, enquanto a "semente Crística" é despertada interiormente.

2. Sentimento de profunda tristeza interna sem aparente razão. Você está soltando seu passado (dessa vida e de outras) e isto causa o sentimentode tristeza. Isto é semelhante a mudar-se de uma casa na qual você viveu por muitos,muitos anos para uma nova casa. Por muito que você queira mudar-se para uma nova casa, existe uma tristeza por deixar as memórias para trás, energias e experiências da velha casa.


3. Chorar sem razão aparente. É bom e saudável deixar as lágrimas fluírem. Isto ajuda a soltar a velha energia interna.

4. Repentina mudança no trabalho ou carreira.Um sintoma muito comum. Como você muda, coisas a sua volta igualmente mudarão. Não se preocupe em achar o emprego “perfeito” ou sua carreira agora. Você está em transição e poderá fazer várias mudanças de empregos até se estabelecer em algum que caiba sua paixão.


5. Afastar-se das conexões familiares. Você está conectado com sua família biológica via velho carma. Quando você sai do ciclo cármico, os vínculos das antigas conexões são soltos. Vai parecer que você está afastando-se de sua família e amigos. Depois de um período de tempo, você pode desenvolver uma nova conexão com eles, se isso for apropriado. Porém, a conexão será baseada na nova energia sem elos cármicos.

6. Padrões de sono pouco comuns. É provável, que vocês acordem muitas noites entre duas e quatro horas da manhã. Há muito trabalhosendo feito em você, e isso muitas vezes faz você acordar para dar uma respirada” . Não se preocupe. Se você não puder voltar a dormir, levante-se e faça alguma coisa. É melhor do que deitar na cama e preocupar-se com coisas humanas.


7. Sonhos intensos. Nestes podem ser incluídos sonhos de guerra e batalhas, sonhos de caçadas e sonhos com monstros. Você está literalmente soltando a velha energia interna, e estas energias do passado são muitas vezes simbolizadas como guerras, corridas para escapar e o "bicho papão".

8. Desorientação física. Em tempos você sentirá muito sem chão. Você estará "mudando espacialmente" com a sensação de que você não pode por os dois pés no chão, ou que você está andando entre dois mundos. Conforme sua consciência muda para a nova energia, seu corpo algumas vezes "atrasa-se" e "fica para trás", isto é, ele não acompanha. Gaste mais tempo na natureza para ajudar a aterrar a nova energia.


9. Aumento da "conversa consigo mesmo". Você encontrar-se-á conversando com seu "Eu" mais freqüentemente. Você de repente perceberá que esteve batendo papo com você mesmo pelos últimos 30 minutos. Existe um novo nível de comunicação tomando lugar dentro do seu ser, e você está experimentando a "ponta do iceberg" com a "conversa consigo mesmo". As conversas aumentarão, e se tornarão mais fluídas, mais coerentes e com mais visões interiores. Você não está ficando maluco. Você é apenas Shaumbra movendo-se para a nova energia.

10. Sentimentos de solidão, mesmo quando em companhia de outros. Você pode sentir-se sozinho e longe dos outros. Você pode sentir desejo de evitar grupos e multidão. Como Shaumbra, você está percorrendo um caminho sagrado e solitário. Tanto quanto os sentimentos de solidão causem ansiedade, é difícil, neste tempo, contar sobre isto a outros. Estes sentimentos de solidão estão associados ao fato de seus Guias terem partido. Eles estiveram com você em todas as suas jornadas, em todos os cursos de suas vidas. Era tempo deles se afastarem, assim você ocuparia esse espaço com sua própria divindade. Isto também passará. O vazio interior será ocupado com amor e energia de sua própria consciência Crística.


11. Perda da paixão. Você pode sentir-se totalmente desapaixonado, com pouco ou nenhum desejo de fazer qualquer coisa. Isto está certo, e isto é apenas parte do processo. Pegue este tempo para fazer nada mesmo. Não lute com você mesmo por isso, porque isto também passará. É semelhante a reprogramar um computador. Você precisa fechar por um breve período de tempo para poder carregar com o novo e sofisticado software, ou neste caso, a nova energia da semente Crística.

12. Um profundo desejo de ir para Casa. Esta talvez seja a mais difícil e desafiante de qualquer uma das condições. Você pode experimentar um profundo e irresistível desejo de voltar para Casa. Isto não é um sentimento suicida. Não é baseado numa frustração ou raiva.


Você não quer fazer um grande negócio disto ou causar drama para você mesmo ou para outros. Tem uma quieta parte de você que quer ir para Casa. A raiz que origina isto é bastante simples. Você completou seus ciclos kármicos. Você completou seu contrato para esta duração de vida. Você está pronto para começar uma nova vida enquanto ainda está neste corpo físico.


Durante este processo de transição você tem lembranças interiores do que é estar do outro lado. Você está pronto para alistar-se para outra viagem de serviço aqui na Terra? Você está pronto para um contrato de desafios de mudanças em direção à Nova Energia. Sim, na verdade você pode ir para Casa agora mesmo. Mas, você veio até aqui, e depois de muitas, muitas vidas seria um pouco frustrante ir embora antes de ver o final do filme.


Além disso, o espírito precisa de você aqui para ajudar outros na transição para a nova energia. Eles precisarão de um guia humano, como você, que fez a jornada da velha energia para a nova. O caminho que você está percorrendo agora fornece as experiências que te habilita a vir a ser um Professor para o Novo HumanoDivino. Tão solitária e escura que sua jornada possa ser às vezes.


Lembre que você nunca está só. (Geoffrey Hoppe e Tobias)


Tudo Passará!


Segundo Geoffrey você é apenas Shaumbra movendo-se para a nova energia. Esse texto é maravilhoso, na justa medida em que ensina perceber os sinais do despertar Divino, e ao lê-lo contatamos com experiências muitas vezes já vivida por cada um de nós. Dá para perceber claramente alguns estágios que já vivemos ou estamos vivendo. Eu recebi por email esse texto, indicando o autor como acima informado, mas não sei em que livro foi publicado.


Paz Profunda!



Fonte:

1. Texto de: Geoffrey Hoppe e Tobias


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Caminheiros Evolutivos

Muito obrigada pela sua presença iluminada

Muito obrigada pela sua presença iluminada